Audiência Pública debate Ingresso Diferenciado às Populações Tradicionais em processos seletivos da UNIFAP

Foi debatido nesta segunda-feira (25), na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), o acesso diferenciado de indígenas, quilombolas e populações tradicionais nos processos seletivos realizados pela instituição. As contribuições foram bastante pertinentes em relação ao acolhimento aos referidos alunos, dando voz a todos os segmentos representados.

A deputada estadual Cristina Almeida (PSB) compôs a mesa de debate composta pela reitora Eliane Superti; vice-reitora Adelma Barros; procurador do MPF, Alexandre Guimarães; coordenador da Funai Regional e Norte do Pará, Paulo Negreiros; representante dos povos quilombolas Joelma Menezes; coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros Piedade Lino Videira; coordenadora do curso intercultural indígena, Elisandra Barros; entre outros.

Mais uma vez, Cristina se colocou à disposição da causa. Disse que o fortalecimento se dá com a união das instituições MP, MPF, UNIFAP, ALAP e outras. “Não podemos recuar e cada vez mais ter em mente que o reflexo das políticas públicas tem a ver com a conjuntura política do país e a luta pelos direitos humanos depende da nossa capacidade de resistência”, enfatizou.

No evento, também foi reconhecido o papel político da deputada Janete Capiberibe (PSB), única parlamentar da bancada federal amapaense a somar na luta em defesa desses povos.

“Precisamos estar firmes e atuantes não somente nos momentos de crise, mas dentro de uma pauta permanente em defesa dos direitos de todos que são discriminados, excluídos e com o acesso à cidadania negado”, disse Cristina ao concluir sua participação.

Fonte: ASCOM

About the author

Comunicólogo e Jornalista por formação, Rádio-apaixonado e Social Media. 23 anos. Fazendo a segunda graduação na Universidade Federal do Amapá, acadêmico de Letras/Francês.

Related

WhatsApp chat