Defesa Civil Estadual mapeia 31 pontos de alagamentos em Macapá

Planejamento faz parte das ações que poderão ser executadas em conjunto com a Defesa Civil municipal em caso de situação de emergência.Por: Ailton Leite

 Foto: Arquivo/SecomDefesa Civil e Núcleo de Hidrometereologia do Iepa trabalham em conjunto

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), órgão ligado ao Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP), atualizou o levantamento, iniciado em setembro passado, sobre as áreas de risco de alagamentos em Macapá, visando garantir as ações a serem realizadas nestes locais.

Em Macapá, a Cedec mapeou 31 áreas de riscos, sendo 8 na zona norte, 15 na área central e 8 na zona sul. Os bairros Novo Horizonte, São Lázaro, Pantanal, Cidade Nova, Laguinho, Santa Rita, Centro e Novo Buritizal, apresentam dois pontos de risco cada.

De acordo com a chefe da Divisão de Prevenção e Planejamento da Cedec, tenente Meiry Lima, o levantamento das áreas de riscos está dentro do plano de contingência (Placon), elaborado pelo órgão e que são repassados para diversas secretarias, assim como para a defesa civil municipal.

“O objetivo é garantir que as ações a serem realizadas ocorram de forma conjunta com esses órgãos”, frisou.

Sobre a situação em outros municípios, a chefe da Divisão de Prevenção e Planejamento da Cedec reforçou que o monitoramento está sendo feito em conjunto com a defesa civil de cada município.

As chuvas chegaram mais cedo ao Estado, de acordo o Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET), do Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), provocadas pela influência do fenômeno La Ninã, que diminuiu o período de estiagem no Amapá, ocasionado chuvas a partir de novembro.

Buscando orientar a população sobre os cuidados neste período, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), passou a divulgar através de painéis de led em alguns pontos da cidade, as ações e os cuidados que a população tem que ter neste período de chuvas.

Em caso de situação de alagamentos, é importante que o cidadão tenha em mãos os documentos, que poderá ser usado em caso de solicitação de abrigo. Quem reside nestas áreas de risco, devem ficar atentos ao nível de rios e igarapés. Nunca deixar criança sozinha e trancada dentro de casa. Caso a defesa civil determine a saída do imóvel, retornar somente após o órgão autorizar.

“Importante que a pessoa não retorne pra sua residência por conta própria após o alagamento, pois, pode ocorrer que as águas dos rios e igarapés voltem a subir e geralmente quando isso ocorre, costumam ser maior que a anterior”, destacou a oficial.

A Cedec recomenda às famílias que moram em locais que apresentam risco de alagamento ou deslizamento, que acionem a Defesa Civil pelo número 193 ou pelo 4009-9195. Outra recomendação é para que a população evite contato com a água da chuva que escorre pelo chão, para não contrair doenças como leptospirose

About the author

Related

WhatsApp chat