Nutricionista alerta sobre o consumo excessivo de chocolate durante a Páscoa

Especialista fez alguns alertas sobre os riscos que o produto pode causar para saúde, quando consumido de maneira exagerada.
 Poliana Tavares

 

 Foto: André Rodrigues / Sesa
Item muito procurado nesta época do ano, o chocolate deve ser consumido sem exageros, para evitar problemas à saúde

O período da Páscoa é uma das datas mais esperadas por todo tipo de público, principalmente pelas crianças, em razão da variedade de chocolates em diversos formatos, tamanhos e os brinquedos que acompanham os ovos. Entretanto, o consumo em excesso desse produto tão apreciado pode desencadear alguns problemas à saúde.

A nutricionista Francine Dias, do Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal), fez alguns alertas sobre os riscos que o produto pode causar para a saúde, quando consumido de maneira exagerada. “O chocolate é rico em calorias e gorduras saturadas, e se consumido em grande quantidade, pode causar alguns efeitos negativos como diabetes, colesterol, triglicerídeos altos e a obesidade”, explicou.

Francine ainda orienta que no caso das crianças, as maiores consumidoras do produto, o recomendado é não dar o ovo de páscoa para as menores de dois anos, porque nessa faixa de idade, elas ainda estão no processo de maturação intestinal. E o chocolate, por ser um alimento que tem uma quantidade maior de gordura, pode acarretar em algum tipo de intercorrência, principalmente a má digestão, diarreia, vômito e alergia, por conta de corantes nos ovos coloridos.

Já para as crianças acima de dois anos, o consumo deve ser de 10 a 25 gramas, equivalente a dois ou três tabletes por dia. “Se a criança ganhar muitos ovos, a orientação é que o consumo seja feita pausadamente, nos dias posteriores ou que pegue o chocolate derreta, use como cobertura em um bolo, na banana ou salada de frutas. Com isso, elas acabam consumindo menos o chocolate e nem percebem”, lembrou a nutricionista.

De acordo com a especialista, o chocolate mais saudável é amargo ou o meio amargo – que são os que possuem a maior quantidade de cacau. O produto dessa característica é o que realmente contém os benefícios que o chocolate proporciona à saúde, por ser rico em flavonóides – considerado um composto antioxidante. “Mesmo com esses benefícios, é importante lembrar que, em exagero, pode provocar afeitos indesejáveis à saúde. O consumo diário deve ser de 30 gramas, considerado aceitável”, alertou a nutricionista.

Paralelo ao consumo moderado de chocolate, Francine aconselha combinar o período com uma alimentação saudável rica em verduras, legumes, frutas carnes, aves e peixes, leite e derivados que contenham baixo teor de gordura, açúcar e sal.

About the author

Related

WhatsApp chat