Submarino argentino desaparecido com 44 tripulantes é encontrado

ARA San Juan sumiu há um ano, a 450 km da costa do país
Parentes dos desaparecidos se abraçam diante da base naval de Mar del Plata Foto: STRINGER / REUTERS
Parentes dos desaparecidos se abraçam diante da base naval de Mar del Plata Foto: STRINGER / REUTERS
Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.

BUENOS AIRES – Os destroços dosubmarino ARA San Juan , que desapareceu com 44 tripulantesa bordo há um ano , foram finalmente encontrados, informou, neste sábado, a Marinha Argentina. De acordo com uma publicação do órgão no Twitter, a embarcação foi identificada pela empresa americana Ocean Infinity, responsável pelas buscas. Na sexta-feira, um novo sinal que poderia ser do submarino desaparecido fez com que as buscas fossem retomadas.

A Marinha já havia compartilhado, nesta sexta-feira, uma foto do fundo do mar, sugerindo que um objeto de 60 metros de comprimento poderia ser o submarino perdido.

 

Segundo o jornal argentino “Clarín”, as primeiras informações, confirmadas quase que imediatamente pela Marinha e pelo governo do país, indicaram que os restos do submarino, que estaria “achatado na proa”, foram localizados no mesmo lugar onde foi registrada, há um ano, a falha hidroacústica, informada na época por organizações internacionais.

Antes de confirmar as informações à imprensa, por volta da meia-noite, a Marinha entrou em contato com os familiares e a juíza Marta Yáñez, que acompanha o caso, para informá-los sobre a descoberta. Segundo o periódico argentino “La Nacion”, a Ocean Infítiny cobrará US$ 7,5 milhões de dólares pela descoberta.

 

Na época, a Marinha interrompeu a missão de resgate duas semanas após o desaparecimento do submarino. Agora, as autoridades anunciaram que a embarcação havia sido encontrada numa região de cânions (espécie de rios submarinos), 800 metros abaixo da superfície do Oceano Atlântico e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia, onde se tinha montado o centro de operações durante a busca.

A área em que a embarcação foi localizada já havia sido rastreada anteriormente sem que o submarino fosse encontrado. Foram os familiares dos tripulantes que insistiram para que novas buscas fossem feitas na região, em função das suposições de que a embarcação estaria naquele local.

About the author

Related

WhatsApp chat