Vigilância em Saúde descarta infestação de barbeiros em residência da Área Portuária

De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Ediana Marques, técnicos do Iepa concluíram, após análise, que as amostras não fazem parte da “família” dos babeiros.

Os agentes estiveram na residência da moradora e coletaram alguns desses insetos, que foram levados para análise no laboratório de Entomologia Médica do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa).

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Santana, através de agentes de saúde da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS), estiveram no bairro Área Portuária realizando análise de um caso relatado por uma moradora que alegava infestação de uma espécie de inseto semelhante ao “Triatoma infestans”, popularmente conhecido como “barbeiro”.

Os agentes estiveram na residência da moradora e coletaram alguns desses insetos, que foram levados para análise no laboratório de Entomologia Médica do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa).

De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Ediana Marques, técnicos do Iepa concluíram, após análise, que as amostras não fazem parte da “família” dos babeiros. “A denúncia, colocado em rede social, chegou à Vigilância Epidemiológica através da Vigilância Ambiental. Juntamente com este órgão e a Coordenadoria de Atenção Básica, localizamos a moradora, que relatou o ocorrido. Então capturamos o inseto e o encaminhamos ao Iepa. Após análise feita pelos técnicos, o laudo apontou que não se trata de barbeiro. Com o laudo em mãos voltamos a entrar em contato com a moradora e informamos sobre o resultado”, explicou Ediana Marques.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica afirmou também que no ano de 2018 não foi registrado nenhum caso de doença de chagas e que todas as suspeitas de surtos epidemiológicos estão sendo monitorados pelas equipes de saúde.

About the author

Related

WhatsApp chat