Encontro reforça a importância de disseminar a cultura da paz nas escolas

0
11
Instituído por Lei, Programa Educação para a Paz é uma estratégia do Governo do Amapá para combater a violência no ambiente escolar.

 

 Foto: Pedro Gomes/Seed
115 professores da rede estadual que atuam nas escolas de Macapá e Santana têm a formação em Práticas de Justiça Restaurativa

O Governo do Amapá promoveu nesta quarta-feira, 25, o Seminário ‘Educação Para a Paz’, para pontuar o papel de cada órgão e das entidades que fazem parte do Programa Educação para a Paz. Durante o evento, no Salão Nobre do Palácio do Setentrião, o governador Waldez Góes reforçou a importância do programa que visa à disseminação da cultura da paz nas escolas da rede estadual.

“Trata-se de um programa de Estado, no qual a sociedade está sendo mobilizada a criar uma nova cultura, a cultura da boa convivência, do respeito e da pacificação das relações. Acreditamos que, por meio das escolas, isso será possível de acontecer”, destacou o governador.

O Programa Educação para a Paz é uma estratégia do Governo do Amapá, na perspectiva de construir uma rede articulada de parceiros, para disseminar a cultura da paz nas escolas. No final de 2017, o projeto se tornou programa de estado, pela lei nº 2.282/2017. A proposta foi de autoria da deputada estadual, Marília Góes.

“O que nos preocupa não é só o aprendizado do aluno, mas como eles estão convivendo na sala de aula. A crescente violência nas escolas deve ser combatida com uma nova fórmula, envolvendo professores, diretores e alunos na tomada de decisões estratégicas para o bom convívio social”, frisou a deputada.

Executado pela Secretaria de Estado da Educação (Seed), o programa é considerado de extrema relevância para o desenvolvimento das competências gerais, que são as atitudes e habilidades indispensáveis para enfrentar os desafios da sociedade moderna. E, também, favorece o fortalecimento do currículo escolar, da gestão democrática e do processo de ensino-aprendizagem, assegurando e primando pela qualidade da educação no Amapá.

Durante o evento, foi apresentado o Educapaz – Sistema de Informação de Agressão e Violência nas Escolas, que já vem sendo executado em caráter experimental, e deverá entrar em vigor em maio. A ferramenta online permite monitorar a violência nas escolas estaduais dos municípios de Macapá e Santana. Com os dados, será possível fazer um panorama dos principais conflitos e desenvolver projetos que disseminem a cultura da paz no ambiente escolar.

“O sistema foi desenvolvido pelo Núcleo de Informática da Secretaria de Estado da Educação e, também faz parte do Programa Educação para a Paz. Vale ressaltar que a ferramenta será usada pelas escolas das redes municipais de ensino de Macapá e Santana, através do Regime de Colaboração da Educação”, reforçou a secretária de Educação, Goreth Sousa.

Formação de profissionais

Atualmente, 115 professores da rede estadual que atuam nas escolas de Macapá e Santana, têm a formação em Práticas de Justiça Restaurativa, 70 deles concluíram o curso no início de abril deste ano, através de convênio entre Governo do Amapá, Ministério Público do Estado (MP/AP) e Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap). A formação foi direcionada aos professores de Santana. A expectativa é ampliar o método para as escolas de todos os municípios.

“Agora, esses professores que já contam com essa formação irão capacitar outros profissionais da rede estadual. A formação já inicia a partir de maio”, mencionou a coordenadora do Programa Educação para a Paz, Eliane Silva.

Concursos

Cinco editais de concursos do Programa Paz nas Escolas foram lançados pelo Estado no último dia 12 de abril. Os certames são voltados para os estudantes da rede estadual que deverão tratar o tema nas categorias: vídeo, desenho, mascote, paródia ou gincana solidária. O edital está disponível site da Seed. O vencedor de cada categoria ganhará um tablet. Já a escola vencedora da gincana solidária ganhará um kit multimídia.