Nova UPA gera boas expectativas para moradores da Zona Sul

0
7
Serão atendimentos de urgência e emergência de complexidade intermediária, para cerca de 230 mil habitantes da Zona Sul de Macapá.

Por: Henrique Borges

 Foto: José Baía / Secom
O aposentado Miguel Silva e a família estão contentes com a possibilidade de atendimento mais perto de casa

“A proximidade é a melhor coisa. Não vai ser preciso ir lá para o centro para poder falar com um médico ou receber atendimento. Minha família está muito contente, porque se alguém precisar do hospital, já vamos ter esse aqui perto”. O relato é do aposentado Miguel Silva, 64 anos, morador do bairro Zerão, ao passar de bicicleta pela Unidade de Pronto Atendimento da Zona Sul, que será entregue na manhã desta sexta-feira, 18, pelo Governo do Estado do Amapá (GEA).

Com uma expectativa de 4,5 mil atendimentos por mês, a UPA da Zona Sul vai funcionar 24h, administrada por uma Organização Social de Saúde (OSS). Serão atendimentos de complexidade intermediária, como: problemas de pressão, corte com pouco sangramento, queda com torsão e muita dor, queda com suspeita de fratura, febre alta, cólicas renais, intensa falta de ar, convulsão, dores no peito e vômito constante. Também serão ofertados exames laboratoriais, de raio-x e ultrassonografia.

Com a entrega da UPA, o Hospital de Emergência (HE) de Macapá terá o fluxo redirecionado para os serviços disponíveis na zona sul. A cozinheira Celina Cardoso, 69 anos, moradora do bairro Universidade, reclama sobre a falta de atendimento básico à saúde nessa região. “Sempre foi um problema a questão da distância, ainda mais quando fecharam a Unidade Básica de Saúde Lélio Silva, para reforma. Esse hospital vai ser muito importante para os moradores aqui da Zona Sul”, ressalta Celina.

A nova unidade hospitalar será gerenciada pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), uma entidade sem fins lucrativos. A parceria com o Governo do Amapá possibilitará o melhor atendimento ao usuário e economia dos gastos públicos na compra de medicamentos, correlatos e equipamentos.

A pastora evangélica Adna Ferraz, 55 anos, moradora do Universidade, afirma que essa era uma reivindicação antiga das pessoas que moram na Zona Sul de Macapá. “Conheço a comunidade e todos sempre reivindicaram uma atenção especial para a saúde aqui nesses bairros. São muitas famílias que poderão ter acesso aos atendimentos, isso é um grande avanço”, comemora a líder religiosa.

A obra

A construção da UPA da Zona Sul foi iniciada em abril de 2014, com previsão de entrega para setembro do mesmo ano. Porém, a obra teve que ser paralisada no início de janeiro de 2015, porque ficou emperrada em processos burocráticos e por causa de atrasos em repasses durante a gestão anterior do Governo do Amapá.

Na obra orçada inicialmente em R$ 3,6 milhões, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foram encontrados problemas de inconsistências estruturais, sendo necessário readequação ao projeto original, que passou a ter um estacionamento subterrâneo.

As adaptações exigiram um aditivo extra de 25% do valor inicial, sendo possível apenas em agosto de 2015. Os serviços só foram retomados depois que o governador Waldez Góes fez uma série de visitas ao BNDES, em Brasília (DF), e articulou apoio da bancada federal amapaense com a equipe técnica de governo, para tirar o Amapá da situação de inadimplência perante o governo federal.

GALERIA DE FOTOS

 Créditos:José Baía / Secom