Pacientes curados de covid-19 comemoram vitória na luta contra o vírus

0
10
Até dia 9 de junho, os Centros Covid 1, 2 e 3 contabilizavam 171 altas médicas, são pacientes recuperados, que tiveram assistência com os protocolos adotados pelo Estado para quadros graves de coronavírus.

 Foto: Arquivo Pessoal
Os pacientes acumulam experiências durante o período de internação e incentivam quem ainda luta pelo restabelecimento da saúde.

Os pacientes curados do novo coronavírus em Centros Covid de Macapá e Santana provocam a alegria de familiares e dos profissionais que fizeram parte do time que os ajudaram a vencer a infecção. Chamados de heróis e heroínas pela vitória na batalha contra o vírus, eles acumulam experiências durante o período de internação e incentivam quem ainda luta pelo restabelecimento da saúde.

Os Centros de Atendimento Covid 1 e 2 funcionam em Macapá, e o Covid 3, no município de Santana. Juntas essas três unidades contabilizavam até a última terça-feira, 9, o total de 171 altas médicas. Em todas as unidades se seguem os protocolos de enfrentamento ao coronavírus, assim como no Centro Covid HU, onde pacientes também já começam a se recuperar, como é o caso da pequena Laryssa Viana da Silva, 11 anos.

“Temos alcançado sucesso no tratamento desses pacientes pelo uso de medicamentos potentes, pelo empenho da equipe e pelos equipamentos de última geração que o Governo do Estado colocou nessas unidades”, explica o diretor-técnico do Covid 3, André Franco Ribeiro.

A família da aposentada Oscarina Vinhas, de 88 anos, fez festa na porta do Centro de Atendimento ao Covid de Santana para receber a idosa quando ela recebeu alta. Ao ser acolhida pelos familiares na porta da unidade, a idosa acenou e agradeceu o carinho de todos que a esperavam com faixas e balões.


Suas filhas e netas não economizaram elogios ao tratamento dado à matriarca e agradeceram as equipes médica e multidisciplinar que lhes devolveu “seu bem maior”, como disse uma neta.

“Houve um momento em que só tínhamos esperança em Deus e na equipe de médicos e enfermeiros que cuidaram da vovó, porque ela chegou aqui em estado grave e hoje está viva e voltando para casa. Em todos os momentos tivemos notícias dela passadas pelas equipes”. Oscarina foi tratada seguindo o protocolo de medicamentos das unidades da rede estadual.

Torcida organizada

Outro que venceu a covid-19 foi o morador de Macapá, Antônio Carlos de Amaral, de 58 anos. Ele foi encaminhado para o Centro Covid 3, em Santana, após triagem em uma unidade básica de saúde de Macapá. Morador do bairro do Trem, ele ficou 12 dias internado na unidade e também fez uso dos medicamentos prescritos no protocolo.

 

A festa feita pelos profissionais e familiares que o esperavam do lado de fora foi em alto estilo, ao som do hino do Clube de Regadas do Flamengo, time do coração de Antônio Carlos. Ao sair ele fez questão de se levantar para mostrar que estava recuperado, sinalizando e fazendo reverência em agradecimento aos profissionais que o cuidaram.

“Nós agradecemos muito todo o empenho que tiveram com ele e pedimos a proteção de Nossa Senhora para vocês que estão enfrentando essa dura batalha”, disse a esposa de Antônio Carlos, dona Jesus.

Outro familiar do paciente curado disse que os profissionais que cuidaram de Antônio são “os anjos da guarda da população de Santana”.

UPA na Zona Sul

Nara Araújo, diretora-geral da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Sul de Macapá, disse que a unidade tem servido de apoio para atendimento a casos de covid-19 e que a atenção segue os mesmos protocolos que o Governo do Amapá definiu para enfrentamento ao novo coronavírus.

“Estamos nos valendo de drogas importantes como hidroxicloroquina, azitromicina, ivermectina e outros. Tudo isso para garantirmos o maior nível de excelência no tratamento e preservação de vidas de nossa população”, finalizou.

A assistente social Clara Maria Silva Dos Passos, de 65 anos, foi contaminada pela covid-19 junto com seus três filhos, que moram no bairro Novo Buritizal, mas a única que teve o quadro agravado foi ela, por já estar no grupo de risco por causa de sua idade. Mas, segundo ela, com determinação e fé pôde superar a contaminação e recebeu alta na sexta-feira, 6.

Clara saiu da fase mais crítica e elogiou os profissionais que cuidaram dela na unidade, classificando o Sistema Único de Saúde (SUS) como sendo “o melhor plano de saúde do mundo”. Para a assistente social, o empenho e o alto nível de profissionalismo das equipes que cuidam dos pacientes na UPA Zona Sul foram fundamentais para a recuperação dela e de outros pacientes internados na unidade.

“Estão sabendo realizar uma prestação de serviço de saúde de qualidade e respeito à coisa pública. Mostrar que é possível levar uma assistência para a população”, frisa.

GALERIA DE FOTOS

Por: Da Redação .Colaboradores: Hémilton Prateado

 Créditos:Arquivo pessoal