DETENTO DO IAPEN QUE SE PASSAVA POR AGENTE DE INVESTIMENTOS PARA APLICAR GOLPES NA INTERNET É INDICIADO PELA POLÍCIA CIVIL – Correio Amapaense

DETENTO DO IAPEN QUE SE PASSAVA POR AGENTE DE INVESTIMENTOS PARA APLICAR GOLPES NA INTERNET É INDICIADO PELA POLÍCIA CIVIL

 

 

 Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil do Estado do Amapá, por meio da 6ª Delegacia de Polícia da capital, indiciou na data de hoje um detento do IAPEN, de 46 anos de idade, pelos crimes de estelionato praticado em detrimento de idoso, lavagem de dinheiro, falsa identidade, ameaça e injúria, e um mulher de 39 anos de idade, pelos crimes estelionato e lavagem de dinheiro.

A investigação se iniciou em 05 de fevereiro de 2020 e contou com o apoio da Divisão de Prevenção e Repressão de Crimes Tecnológicos da Polícia Civil do Estado do Pará.

 

ENTENDA O CASO:

 

Utilizando um perfil falso de uma conhecida plataforma de relacionamento social na internet, um detento do IAPEN se passava por um agente financeiro de uma grande empresa de investimentos do Brasil.

No perfil, anunciava retornos financeiros atrativos caso as pessoas se interessassem em investir com intermédio da sua assessoria financeira.

As fotos postadas pelo detento nas redes sociais difundiam a imagem de uma pessoa de bastante sucesso, induzindo as vítimas a acreditarem que também teriam sucesso por intermédio dele.

O detento também se passava nas redes sociais por um Delegado da Polícia Civil para convencer as vítimas de que o negócio realmente seria idôneo.

Uma mulher de 65 anos de idade, residente na cidade de Ananindeua, Estado do Pará, transferiu para a conta indicada pelo detento a quantia de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) com o intuito rentabilizar o dinheiro para a compra de do tão sonhado carro novo.

Outras pessoas de outras partes do Brasil também depositaram vultuosas quantias e em uma conta identificada pela Polícia Civil foram transferidos R$ 16.000,00 (dezesseis mil reais).

Segundo o Delegado de Polícia Civil Leandro Vieira Leite, que presidiu as investigações, “nós identificamos uma conta bancária, que estava em nome de terceiro, em que ocorreram a transferência de R$ 16.000,00 (dezesseis mil reais) de várias pessoas do Brasil, mas suspeitamos que a fraude tenha ultrapassado R$ 100.000,00 (cem mil) reais”.

Ainda segundo o Delegado, “ele utilizava mais de 15 (quinze) números de telefone, com os prefixos do Distrito Federal (61), Pará (91), Mato Grasso (65) e Amapá (96), e diversos perfis falsos em redes sociais para aplicar os golpes”.

Uma mulher, de 39 anos de idade, que atuava a mando do detento em ações de transporte de valores e compra de objetos foi identificada e indiciada pela Polícia Civil.

A investigação contou com o apoio da Divisão de Prevenção e Repressão de Crimes Tecnológicos da Polícia Civil do Estado do Pará na oitiva da vítima residente na cidade de Ananindeua-PA.

Outras investigações decorrentes desse golpe também serão investigadas, em procedimentos decorrentes.

O Inquérito Policial foi concluído com a identificação dos envolvidos e será encaminhado à Justiça.

 

Orientações da Polícia Civil para não ser vítima desse crime:

1) Ao procurar algum serviço na internet, entre em contato pelos canais oficiais da empresa (telefone e e-mails oficiais) e certifique-se que o serviço prestado realmente é idôneo.

2) Certifique-se se a pessoa que diz estar representando a empresa realmente está autorizada ou se constitui em agente credenciado.

3) Desconfie de propostas tentadoras ou que proporcionem ganhos fáceis ou rápidos.

Por: Assessoria de Comunicação

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION