“Agora temos uma unidade completa de profissionais e exames”, comemora mãe de paciente

0
17
UPA da Zona Sul começa a fazer os primeiros atendimentos. São 120 profissionais na unidade, preparados para atender 150 pacientes por dia

 

 Foto: André Rodrigues/Sesa
Maria do Socorro levou a pequena Bruna Manuela, 2 anos, até à unidade para ser atendida. A criança apresentava sintomas de virose

A pequena Bruna Manuela, de apenas 2 anos, foi a primeira paciente atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul, que foi inaugurada na manhã desta sexta-feira, 18. Ela é uma das 30 pacientes atendidas nas primeiras quatro horas de funcionamento da unidade.

Com sintomas característicos de virose, a criança estava acompanhada da mãe, Maria do Socorro. Na triagem, foi identificada a classificação de risco da demanda, que objetiva organizar a ordem de atendimento em concordância com o potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento dos pacientes. Em seguida, Manuela foi atendida por um dos médicos plantonistas.

Maria do Socorro, que é moradora do bairro do Muca, elogiou o atendimento e classificou a entrega da unidade como “uma grande conquista para a população que reside na região”.

“Minha filha já passou pelo médico, agora vai fazer exame de sangue para sabermos o que ela tem. Fico muito feliz em saber que agora contamos com uma unidade completa de profissionais e exames, onde não vai mais haver necessidade de ir até o centro em caso de alguma emergência”, salientou.

São 120 profissionais que irão atuar na unidade, cuja expectativa é receber 150 atendimentos por dia. A UPA Zona Sul funcionará 24 horas por dia, com atendimentos médicos em clínica geral e pediatria. A estrutura é equipada para fazer exames clínicos, de raios-X, eletrocardiograma

O secretário de Estado da saúde, Gastão Calandrini, reforçou que a unidade está preparada para atender os casos de complexidade intermediária, com gravidade média de urgência e emergência. “A nossa expectativa é diminuir em um terço a superlotação das portas de emergências de maneira eficiente e, sobretudo, acolhedora”, afirmou.