Amapá apresenta nível técnico avançado de profissionais que atuam no tratamento de câncer

0
24
Durante três dias, palestrantes de renome nacional compartilharam conhecimentos com profissionais especialistas na área de saúde do Estado.
Por: Jamylle Nogueira

 Foto: Maksuel Martins/Secom
Um dos palestrantes, Jairo Cartum, percebeu que o Amapá tem uma equipe engajada e disposta a evoluir em todas as áreas da oncologia

O 1º Seminário Estadual de Oncologia e Oncohematologia mostrou que o Amapá possui um nível técnico avançado de profissionais que atuam no tratamento de pacientes com câncer. Um dos palestrantes, o médico especialista em oncologia pediátrica, Jairo Cartum, percebeu que o Estado tem uma equipe engajada, com uma organização receptiva e voltada a aprender e evoluir em todas as áreas da oncologia.

“Tudo começa através de capacitação e o Amapá está de parabéns por promover um evento tão importante como este. Esperamos abrir muitas portas para poder ampliar o processo de tratamento por aqui”, afirma Cartum, que é coordenador do Setor de Oncologia Pediátrica da Faculdade de Medicina do ABC, em São Paulo.

Foram três dias de conhecimentos no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em Macapá. Com encerramento no sábado, 19, o evento reuniu diversos profissionais e acadêmicos da área da saúde, momento em que puderam discutir a respeito de assuntos interdisciplinares que envolvem o tratamento de pacientes com câncer.

De acordo com a coordenadora de Gestão do Trabalho e Educação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Monica Oliveira, a oncologia é um tema que precisava ser abordado no Amapá, devido à carência de capacitação de profissionais da área. Por esse motivo, o seminário foi multidisciplinar e abrangeu profissionais como psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, cirurgiões, urologista, entre outros, que puderam aprofundar seus conhecimentos.

A coordenadora ainda afirma que o seminário serviu como um divisor de águas. Pois, todos os palestrantes de renome nacional trouxeram uma visão bastante ampla a respeito do tratamento, diagnóstico e prevenção do câncer, através de tecnologias mais avançadas que contribuem para a eficácia desse processo.

“Com as experiências repassadas pelos palestrantes, podemos ver que o Amapá não está aquém com relação ao tratamento de outros estados. Porém é importante que tenhamos a avaliação desses profissionais que trouxeram propostas de projetos que serão desenvolvidos a partir desse seminário”, declara Mônica.

A acadêmica de psicologia Luciane Ferreira, gostou da iniciativa do Governo do Amapá em promover o seminário.

“Todas as minhas expectativas com relação ao evento foram atendidas. Pois, foi ofertado, exatamente, o que estava na divulgação, o que me deixa feliz, satisfeita e ansiosa para que capacitações técnicas como essa, se repita cada vez mais”, reforça a acadêmica.

O coordenador da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal), Roberto Marcel, disse que o Amapá está em processo de formação e crescimento, em que passa primeiro por uma qualificação e, depois o aumento no número de profissionais que vem contribuir com a população. “Antigamente, o número de cirurgiões oncológicos era bastante reduzido e, hoje, nós temos um número expressivo de profissionais bastante qualificados desde oncologistas clínicos a cirurgiões”, compara.

O secretário de Estado da Saúde (Sesa), Gastão Calandrini, adianta que a realização do seminário foi um ponta pé inicial para a realização de muitas outras capacitações técnicas e cientificas, voltadas não somente para a oncologia, como outras áreas da saúde.

“Temos um planejamento, que está sendo executado, para aperfeiçoar o tratamento oncológico no Amapá. Temos uma unidade de prevenção [Hospital do Câncer de Barretos] sendo construída, na Zona Norte de Macapá. Temos um projeto arquitetônico pronto para um hospital do câncer. E a radioterapia já está autorizada pelo Ministério da Saúde para ser instalada. A ideia é que tudo isso fique em um único complexo na Zona Norte”, reforça Calandrini.

GALERIA DE FOTOS
 Créditos:Maksuel Martins / Secom