Amapá ficou de fora: Governo do Brasil inclui 31 novos projetos no Avançar Parcerias – Correio Amapaense

Amapá ficou de fora: Governo do Brasil inclui 31 novos projetos no Avançar Parcerias

Avançar parcerias

Expectativa é que concessões gerem mais de R$ 10 bilhões em investimentos privados. Setores de energia e transportes são os contemplados nesta fase
por Planalto publicado: 19/03/2018 19h53 última modificação: 20/03/2018 13h41

 

Com investimentos potenciais de R$ 10 bilhões, o Governo do Brasil anunciou nesta segunda-feira (19) a inclusão de 31 projetos no programa Avançar Parcerias. O pacote foi lançado durante a 5ª Reunião do Conselho do Programa de Parceria de Investimentos, no Palácio do Planalto.

Nesta fase, serão concedidos 24 lotes de linhas de transmissão. A expectativa é que esses projetos gerem R$ 8,83 bilhões em investimentos, recursos que irão beneficiar diretamente as populações de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Amazonas, Tocantins, Pará, Roraima, Maranhão, Bahia, Sergipe, Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte.

Extensão

“Todas as cinco regiões terão lotes nesse leilão. Nossa expectativa é que possa ocorrer em 28 de junho”, explicou o Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Ele relatou ainda que todos os 24 lotes somam aproximadamente 4 mil quilômetros de extensão em linhas de transmissão de energia.

Eletrobras

De acordo com o secretário especial da Secretaria do PPI, Adalberto Santos de Vasconcelos, os conselheiros definiram o processo de governança da desestatização da Eletrobras. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ficará com os estudos de avaliação da companhia; a Eletrobras também deverá contratar estudos próprios, já que terá de fazer algumas operações, como a emissão de ações; o Ministério de Minas e Energia será responsável pela coordenação geral do processo.

Logística

Além da área de energia, o pacote de concessões prevê três terminais de combustíveis no Porto de Cabedelo (PB); dois terminais de granéis líquidos no Porto de Santos (SP); e dois terminais no Porto de Suape, um de contêineres e outro de veículos. A previsão é que essas operações gerem investimentos de R$ 1,3 bilhão.

O conselho também aprovou a modelagem da concessão da BR-364/365/GO/MG. Essa foi uma das últimas etapas antes da publicação do edital. Segundo a secretaria do PPI, a concessionária que vencer irá explorar, recuperar e operar a infraestrutura da rodovia por 30 anos. O trehco concessionado será de 437 km.

Fonte: Planalto

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION