Ampliação no atendimento e quarentena reduzem para 62% a taxa de ocupação de leitos de Covid-19 no Amapá – Correio Amapaense

Ampliação no atendimento e quarentena reduzem para 62% a taxa de ocupação de leitos de Covid-19 no Amapá

Governo garante vagas para internações de pacientes em estados leves e graves nos oito hospitais com tratamentos voltados para a doença.
Centro Covid HU disponibiliza leitos intensivos, clínicos, para indígenas e pediatria.

O Amapá reduziu para 62% a taxa de ocupação de leitos nas oitos unidades da rede estadual de Saúde com tratamentos voltados para a covid-19. A informação foi atualizada neste sábado, 13, pelo Governo do Estado.

Conforme levantamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a diminuição do índice é resultado da ativação dos leitos no Centro Covid HU, que funciona Hospital Universitário, e as medidas de isolamento social, entre elas o lockdown.

“A taxa de ocupação de leitos é um dos nossos indicadores mais importantes, que nos auxilia em tomadas de decisão e formulação de medidas mais eficazes”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Juan Mendes.

Atualmente, o Governo do Amapá oferta 274 leitos, sendo 215 já ativos e 59 contingenciados para suporte de possível demanda de transferência de pacientes.

Os leitos pertencem às seguintes unidades:

  • Macapá: no Centro, Covid 1 oferta 22 leitos de UTI; na zona norte, o Covid 2 tem 10 leitos de UTI e 40 clínicos; Covid HU oferta 15 leitos de UTI, 23 clínicos, 8 da pediatria e 4 da ala indígena; unidade de triagem avançada no HE possui 9 leitos intensivos;
  • Santana: Covid 3 oferta 24 leitos de UTI e 20 clínicos;
  • Laranjal do Jari: UPA possui 6 de UTI e 13 clínicos;
  • Oiapoque: Hospital Estadual possui 3 leitos de estabilização e 10 de suporte clínico.
  • E a unidade de Oiapoque possui 3 leitos de estabilização e 10 de suporte clínico

Quarentena com novas regras

Com a assinatura do Decreto nº 1878, o Estado prorrogou até o dia 30 de junho a quarentena com a suspensão das atividades e eventos em todo o Amapá, como forma de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

O documento também estabelece critérios de segurança sanitária a serem regulados pelos municípios para a retomada de forma responsável e gradual das atividades econômicas e sociais.

De acordo com o secretário Juan Mendes, a população e os municípios precisam manter as orientações do Estado relacionados a prevenção e controle da pandemia. Ele destaca que a diminuição no número de internados pela Covid-19.

“Houve redução na procura de serviços de saúde influenciado pelo protocolo terapêutico precoce, além dos efeitos do lockdown que conseguimos evitar entre 14 mil a 20 mil novos casos”, finalizou o gestor.

Por: Jorge Abreu

 

 Foto: Márcio Pinheiro/Governo do Amapá

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION