Após serem resgatadas pelo GTA, vítimas de capotamento são internadas no HE

0
1
O acidente ocorreu no município de Amapá. Com várias fraturas cinco feridos foram levados ao Hospital de Emergências, dois deles transportados de helicóptero.

 

Chegada de vítimas resgatadas pelo GTA à Macapá

Duas vítimas de um capotamento ocorrido na manhã desta sexta-feira, 9, no município de Amapá, tiveram que ser levadas de helicóptero para o Hospital de Emergências (HE), em Macapá. O acidente deixou cinco pessoas feridas e duas mortas.

O capotamento ocorreu por volta de 10h15, na AP-426, rodovia estadual conhecida como ramal da Base Aérea, no município de Amapá, a 360 km da capital Macapá. As vítimas mais graves, uma mulher de 50 anos e uma criança de 6 anos, foram resgatadas pela aeronave do Grupamento Tático Aéreo (GTA). O voo durou cerca de uma hora, mais de duas horas a menos caso fosse feito por transporte terrestre.

De acordo com o médico Iuri Sena, que acompanhou o estado de saúde das vítimas na Unidade Mista de Saúde de Amapá (UMS) até o momento do transporte aéreo, a adulta apresentou traumatismo crânio-encefálico (TCE) e hemotórax – que é a presença de sangue no pulmão, fazendo-o parar de funcionar. Já a criança apresentou TCE, mas foi estabilizada na UMS antes de ser encaminhada para o HE, por conta da gravidade.

Foi Sena que constatou as duas mortes no local do acidente. As vítimas fatais eram uma mulher adulta e uma criança. O médico também acompanhou o transporte aeromédico até Macapá.

Segundo ele, o tempo no atendimento é determinante para pacientes em estado de saúde nesse grau de complexidade. “Normalmente, vítimas de acidente de carro são pacientes graves, então, em quanto menos tempo for feito o transporte para um atendimento cirúrgico adequado, maior a chance de ter um bom prognóstico”, afirmou ele.

O comandante do GTA, Rogério Silva, informou que a tripulação estava em missão estratégica de Defesa Civil no Amapá. “Agimos rapidamente por estar nas proximidades do local do acidente. Mudamos a missão para dar prioridade ao atendimento das vítimas”, disse ele.

A direção do HE informou que o caso das duas pacientes requer muito cuidado, ambas estão com politraumatismos, passando por procedimentos de estabilização, exames e avaliação médica. Até as 17h, as outras três vítimas estavam a caminho de Macapá, de ambulância.

Henrique Borges .Colaboradores: Iracilda Tavares e Janine Cruz