Aspirina vai ser testada como potencial tratamento para Covid-19

0
299

Aspirina vai ser testada como potencial tratamento para Covid-19

Aspirina vai ser testada em estudo para verificar se pode ser usada no tratamento da Covid-19
Aspirina vai ser testada em estudo para verificar se pode ser usada no tratamento da Covid-19 Foto: William de Moura
Reuters

LONDRES – A aspirina será avaliada como um possível tratamento para Covid-19 em um dos maiores estudos do Reino Unido, que avaliará se o analgésico pode reduzir o risco de coágulos sanguíneos em pessoas com a doença.

Os cientistas por trás do estudo Recovery, que está investigando uma série de tratamentos potenciais para Covid-19, decidiram incluir a droga, que é comumente usada para afinar o sangue.”Há uma razão clara para acreditar que ela (aspirina) pode ser benéfica e é segura, barata e amplamente disponível”, disse Peter Horby, co-investigador principal do estudo.

Os pacientes infectados com o novo coronavírus correm um risco maior de coágulos sanguíneos por causa das plaquetas hiper-reativas, os fragmentos celulares que ajudam a parar o sangramento. A aspirina é um agente antiplaquetário e pode reduzir o risco de coágulos, disse o site do estudo Recovery na sexta-feira.

Espera-se que pelo menos 2.000 pacientes recebam aleatoriamente 150 mg de aspirina por dia, juntamente com o regime usual. Os dados desses pacientes serão comparados com pelo menos 2.000 outros pacientes que recebem o tratamento padrão Covid-19.

Por ser um diluente do sangue, a aspirina aumenta o risco de hemorragia interna, e tomar o medicamento por um período prolongado está associado a danos renais.

Outros tratamentos testados no estudo Recovery incluem o antibiótico comum azitromicina e o coquetel de anticorpos da Regeneron que foi usado para tratar os sintomas do Covid-19 do presidente dos EUA, Donald Trump.

Ao contrário do remdesivir da Gilead, que foi aprovado como tratamento Covid-19 nos Estados Unidos, mas mostrou resultados fracos em um grande ensaio da Organização Mundial da Saúde, a aspirina é um medicamento genérico, o que o torna muito mais barato.

O estudo Recovery foi o primeiro a mostrar que a dexametasona, um esteróide que também é barato e amplamente disponível, pode salvar vidas de pessoas com forma grave da doença. Ele também mostrou que o medicamento antimalárico hidroxicloroquina, uma vez promovido por Trump, não foi benéfico no tratamento de pacientes com COVID-19.