Aumento no preço do óleo diesel é tema de debate no plenário da Assembleia Legislativa

0
1

 

Os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis ocorridos nesta semana, principalmente o do óleo diesel, foi debatido pelos deputados durante a sessão desta quarta-feira (23), no plenário provisório da Assembleia Legislativa, no Centro de Convenções João Batista de Azevedo Picanço. A questão foi levantada pelo deputado Júnior Favacho (DEM), ao apresentar requerimento verbal, destinado ao governador do Estado, para a realização de um estudo técnico com a finalidade de reduzir a alíquota de ICMS sobre óleo diesel no Amapá.

“Tendo em vista as manifestações que estão ocorrendo em todo o país, por esse abusivo aumento no preço do diesel, sugiro que o governador Waldez Góes determine aos tributaristas do estado um estudo visando reduzir a alíquota sobre o combustível. As paralisações promovidas pelos caminhoneiros estão parando o Brasil, já provocam desabastecimento em alguns estados do sul e sudeste. Afinal, esse imposto representa de 30 a 40 por cento da composição do frete. O Amapá, que tem uma das maiores tributações, de 25% por cento, poderia, pelo menos, equiparar ao vizinho, o estado do Pará que cobra apenas 17%”, alertou o parlamentar.

O presidente da Casa Leis, deputado Kaká Barbosa (PR), também abordou o assunto para anunciar que a equipe do governador Waldez Góes, preocupada com a situação, busca soluções em nível nacional. “Fui informado pelo secretário estadual de Fazenda, Josenildo Abrantes, de que o governador Waldez Góes irá mobilizar os governadores dos demais estados para, juntos, provocarem uma pauta positiva com o presidente da República, Michel Temer, visando a solução desse problema. Fiquei feliz em ver essa atitude do governador do nosso estado em buscar soluções para um problema que não inviabiliza apenas o Amapá, mas todo o país”, informou.

Para o deputado Paulo Lemos (PSOL) é importante que a mobilização seja em caráter nacional para surtir efeito. “É muito importante esse debate. É válida a iniciativa do deputado Junior, como também é importante a fala do presidente Kaká. Creio que o Amapá poderia sair na frente com uma carta de intenção, promovendo a redução da sua alíquota em busca de uma reação nacional. Tem que ser algo de caráter nacional, para ter efeito nas bombas”, sustenta.

O líder do governo na Alap, deputado Dr. Furlan (PTB), elogiou o nível do debate e reafirmou que a carta dos governadores pode contribuir para solucionar o problema. “A discussão é salutar. A fala dos deputados contribui para o juízo dos valores. O governo do presidente Temer tomou como política indexar o preço dos combustíveis ao dólar, mas acredito que essa foi uma decisão equivocada. E, uma carta de intenções assinada por todos os governadores, levada à equipe econômica do presidente Temer, pode reverter a situação. Porque, do jeito como está subindo o preço dos combustíveis ninguém mais vai poder andar de carro neste país”, sustentou Furlan.

O deputado Max da AABB (SD) lembrou que o Amapá, na época das termoelétricas, foi grande consumidor de óleo diesel, gerando muito ICMS sobre as vendas desse combustível. “Para compensar a perda de tributos, o governo aumentou a alíquota em 5%, mas o tiro saiu pela culatra, pois ficamos com o preço mais alto que no estado do Pará. E os grandes consumidores de diesel são os barcos que trafegam entre os dois estados e que passaram a abastecer em território paraense para fazer a viagem de ida e volta. É imprescindível que equiparemos a alíquota de ICMS sobre o diesel com a do nosso vizinho, para voltarmos a vender o combustível aos barcos que trafegam na região do baixo Amazonas e, com certeza, teremos significativo aumento de arrecadação”, argumentou.

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui