Campanha de detecção de hanseníase, tracoma e verminoses alcança 10 mil alunos da rede pública – Correio Amapaense

Campanha de detecção de hanseníase, tracoma e verminoses alcança 10 mil alunos da rede pública

 

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) dá continuidade à V Campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma nas escolas pactuadas no Programa Saúde na Escola (PSE). Até o momento, 20 instituições de ensino receberam equipes de saúde para a inspeção de pele, dos olhos e a administração de medicamento vermífugo. A atividade, que iniciou em abril, já atendeu 10 mil alunos na faixa etária de 5 a 14 anos de idade. Destes, somente três casos foram confirmados.

 

Na quarta-feira, 20, a ação aconteceu na Escola Municipal Moranguinho, no Buritizal, onde cerca de 300 alunos passaram pelos serviços de saúde. Durante as inspeções dos olhos, um aluno foi diagnosticado com tracoma e teve o tratamento iniciado no mesmo dia, após autorização dos pais. “Em casos positivos, o tratamento é disponibilizado imediatamente, de forma gratuita, pela rede de atenção básica para a criança e os familiares. Quando detectado precocemente, os riscos de sequelas diminuem. O tracoma, por exemplo, se não tratado, pode causar até cegueira”, explica a coordenadora municipal do Programa de Hanseníase, Lucileide Mafra.

 

De acordo com a coordenadora, a campanha, que tem o objetivo de fazer a busca ativa de casos novos das doenças e exame dos contatos, tem um saldo positivo, já que poucos casos foram confirmados. “Até o momento, tivemos um saldo positivo. Dos 10 mil alunos que passaram pelas inspeções, somente três casos foram confirmados. Todos tiveram o tratamento iniciado. É importante que os pais assinem os formulários que autorizam as equipes de saúde a fazer os procedimentos essenciais para a detecção dessas doenças que, descobertas precocemente, são mais fáceis de serem tratadas”, conclui Mafra.

 

A campanha

 

Realizada em conjunto com as escolas, pretende reduzir a carga das verminoses (parasitas intestinais conhecidas como lombrigas), que causam anemia, dor abdominal e diarreia, com o uso de vermífugo preventivo. Esses parasitas podem prejudicar o desenvolvimento e o rendimento escolar da criança. As atividades da campanha abrangem ainda orientações aos professores e escolares sobre as doenças a serem trabalhadas na ação e mobilização da comunidade.

 

(Fonte: Agência em Saúde)

 

Jamile Moreira

About the author

Related