Comemorações do Dia do índio reúnem indígenas do Amapá e Norte do Pará

0
2
A programação, que acontece na Casa de Apoio dos Povos Indígenas Waiana e Aparai, inclui apresentações culturais, dança, conto, pintura e mesa redonda.

 

 Foto: Maksuel Martins
Os povos indígenas querem garantir a perpetuação cultural na região

Para celebrar o Dia do Índio o Governo do Estado do Amapá (GEA) realizou nesta quinta-feira, 19, uma vasta programação com a participação dos povos indígenas do Amapá e Norte do Pará. O evento começou com um café da manhã na Casa de Apoio dos Povos Indígenas Waiana e Aparai, localizada no bairro Renascer II, em Macapá, com a presença de autoridades e lideranças indígenas da região.

A programação é organizada pela Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas (Sepi), em parceria com associações e movimentos indígenas do Amapá e Norte do Pará. As comemorações acontecem durante todo o dia com apresentações de danças típicas e cantos, exposições, venda de artesanato como pulseiras, colares, brincos, bolsas, além de pintura corporal, almoço e degustação do caxixi, a tradicional bebida produzida dos índios.

As comemorações visam proporcionar um momento de integração entre as comunidades indígenas e a valorização dos costumes, crenças, cultura e tradições dos povos. Pelo menos nove etnias do Amapá participam dos festejos: Galibi Marworno, Karipuna, Palikur, Galibi Kalinã do município de Oiapoque; Waiãpi do município de Pedra Branca; além das etnias Waiana, Apalai, Tiriyó e Kaxuyana, do Parque do Tumucumaque.

As lideranças indígenas aproveitaram para realizar uma mesa redonda para debater as propostas que serão apresentadas durante o acampamento Terra Livre 2018, que ocorrerá em Brasília, de 23 a 27 deste mês. Também discutiram sobre o encontro da Cumbre Regional da Amazônica de Organizações Indígenas (COICA) – que será realizado no período de 18 a 22 de junho de 2018, no Amapá.

De acordo com Cecília Apalai, uma das organizadoras do evento em Macapá, a programação em comemoração ao Dia do Índio é especial. Uma forma de mostrar diferentes atividades indígenas ao público e valorizar a diversidade cultural dos povos de várias regiões do Estado.

“Durante todo o dia de programação representantes de tribos diversas ministraram oficinas de artesanato, dança e pintura corporal. Nossa cultura permanece. Precisamos lutar pela visibilidade e, principalmente, pela valorização e garantia dos nossos direitos”, ressaltou Cecília.

 

Movimento

As homenagens ao Dia do Índio continuam em Brasília no período 23 a 27 de abril, quando 58 indígenas do Amapá e Norte do Pará participarão do acampamento Terra Livre. O evento vai mobilizar cerca de cinco mil indígenas de vários estados brasileiros, que ficarão acampados em frente a Esplanada do Ministérios.

Esta será a 15ª edição da maior mobilização indígena do país e terá como tema “Unificar as lutas em defesa do Brasil Indígena – pela garantia dos diretos originários dos povos”. Entre os assuntos que serão apresentados estão a demarcação de terras e a precarização de serviços básicos como saúde e educação.

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui