Dia Nacional da Adoção será lembrado com caminhada em Macapá

0
16
Encontro, em comemoração ao dia 25 de maio, Dia Nacional da Adoção, é aberto ao público e acontece de 8h às 11h, no Centro de Macapá.

 

 Foto: Maksuel Martins/Secom
Tramitam na Vara Civil da Infância e da Juventude da Comarca de Macapá, 267 processos de adoção

Para dar visibilidade à causa da adoção na sociedade amapaense, ocorrerá a V Caminhada pela Adoção, no sábado, 26. O evento é uma parceria do Núcleo de Atendimento Especializado à Criança e ao Adolescente (Naeca), da Defensoria Pública do Estado (Defenap), Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), Sociedade Amapaense de Apoio à Adoção (Saad), conselhos tutelares e Associação Nacional de Grupos de Apoio à Adoção (Angaad). O encontro, em comemoração do Dia Nacional da Adoção, 25 de maio, será aberto ao público das 8h às 11h no Centro de Macapá.

A V Caminhada pela Adoção sairá por volta das 8h da Praça do Barão, seguindo até às imediações da Fortaleza de São José de Macapá. Será uma manhã de reflexão, dicas e orientações sobre a habilitação de futuros pais adotivos. A expectativa de público é de aproximadamente cem pessoas. Serão utilizados faixas, cartazes e panfletos com objetivo de chamar a atenção sobre a adoção de crianças.

A mobilização ocorrerá também em outras capitais do país. Para o defensor público e coordenador do Núcleo de Atendimento Especializado à Criança e ao Adolescente, Gilson Soares Borges, a ideia do grupo, durante a caminhada, é sensibilizar a população sobre a adoção, pois muitas crianças aguardam por um lar. “Nossa intenção é quebrar preconceitos e tabus que ainda existem sobre adoção, mostrar para a população a legitimidade e naturalidade da família adotiva, pois muitas participarão do momento”, explicou o coordenador.

Gilson Borges salientou que 267 processos de adoção, de famílias assistidas pela Defensoria, tramitam na Vara Civil da Infância e da Juventude da Comarca de Macapá. São 121 habilitações, 95 adoções e 51 destituições, somente neste ano. Ele descreve como é feito o procedimento de adoção: “A pessoa precisa ter disponibilidade para cuidar da criança e a consciência de que adotá-la é para toda a vida. Com essa disposição, inicia o processo de habilitação numa das varas da infância, onde a equipe técnica analisa o perfil do adotante e prepara o assistido, que tem a pretensão de adotar, com palestras e orientação sobre a importância da adoção. Após deferida a habilitação, são feitos os primeiros contatos com as crianças”.

O Núcleo Especializado de Atendimento da Criança e do Adolescente, da Defensoria Pública do Estado, tem a missão de prestar atendimento interdisciplinar, judicial e extrajudicial para criança ou adolescente em situação de vulnerabilidade pessoal e social, e ao adolescente autor de de ato infracional, bem como aos seus familiares ou responsáveis.