Erradicada em 2006, doença de chagas reaparece no Brasil

0
8

 

Foram detectados casos da doença em Acará, no nordeste do Pará, devido ao consumo de açaí contaminado por fezes do barbeiro

Ponto de Encontro desta quarta-feira (12) conversa com a cardiologista do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Dra. Fernanda Weiler, sobre os casos da doença de chagas no Pará.

“É uma tristeza isso estar acontecendo. Em 2006, o Brasil chegou a receber um certificado de erradicação de transmissão da doença, mas daquela forma de transmissçao tradicional em que o barbeiro se escondia nas paredes das casas antigas e durante a noite picava a pessoa, ao picar defecava perto da pele, a pessoa coçava a região e o tripanossoma entrava na corrente sanguínea e causava a doença de chagas”, explica a cardiologista.

 

A médica explica que os novos casos da doença que estão surgindo são por contaminação indireta, ou seja, pela ingestão do barbeiro, que é triturado junto com os alimentos. Essa forma de contágio costuma ocorrer com a ingestão do açaí e do caldo de cana.

“É uma preocupação nova. A gente vai ter que melhorar nossa vigilância sanitária, vai ter que tomar algumas providências para que essa transmissão seja interrompida porque a doença de chagas é uma doença crônica, então, às vezes não é detectada logo no contágio. Ás vezes demora 20 anos para surgir o primeiro sintoma. Essa contaminação pode estar em maior escala do a gente está percebendo”, complementa.


Warning: require(/home/storage/d/5f/28/correioamapaense4/public_html/wp-content/plugins/td-standard-pack/Newspaper): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/d/5f/28/correioamapaense4/public_html/wp-includes/comment-template.php on line 1532

Fatal error: require(): Failed opening required '/home/storage/d/5f/28/correioamapaense4/public_html/wp-content/plugins/td-standard-pack/Newspaper/' (include_path='.:/usr/share/pear7:/usr/share/php7') in /home/storage/d/5f/28/correioamapaense4/public_html/wp-includes/comment-template.php on line 1532
Erro › WordPress

Há um erro crítico no seu site.

Aprenda mais sobre depuração no WordPress.