Estado e município criam plano de ação em caso de inundações em Macapá

0
2
Órgãos vão atuar de forma integrada para minimizar riscos causados por inundações ou ventanias na capital; população pode ligar para 193, 190 ou 199.

 

 Foto: Maksuel Martins/Secom
Medidas foram definidas nesta segunda-feira, 17, durante encontro conduzido pelo CBM/AP

Órgãos do Governo do Estado do Amapá e Prefeitura de Macapá elaboraram um plano de ação integrada entre os órgãos de defesa, assistência social e infraestrutura para os casos de inundações, enchentes ou ventanias no município. As medidas são para minimizar os riscos à população, causados por esses fenômenos. O plano de ação foi definido nesta segunda-feira, 17, durante encontro entre representantes dos governos municipal e estadual conduzido pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP).

De acordo com o comandante-geral do CBM/AP, coronel Wagner Coelho, o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) passará diariamente informações atualizadas à Defesa Civil que, por sua vez, em caso de alagamentos ou inundações, atuará com medidas de segurança e retirada da população dos locais de risco.

Em seguida, os órgãos de assistência atuarão no auxílio às famílias afetadas garantindo, quando necessário, abrigo e inclusão nos programas sociais disponibilizados pelos governos municipal, estadual e federal. Os órgãos de infraestrutura também entrarão com serviços de recuperação, limpeza e desobstrução dos locais atingidos.

Coelho explica que a intenção é que os órgãos estaduais e municipais atuem de forma integrada em seus planos de contingência. “Definimos a otimização dos recursos estaduais e municipais para fazer frente a possíveis ocorrências que envolvam chuva e ventania, eliminando qualquer tipo de risco e assistir os afetados”.

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), órgão ligado ao CBM/AP, vem monitorando os locais onde está sendo registrado um grande volume de chuvas nos últimos dias. De acordo com o órgão, só na capital existem cerca de 30 áreas de risco de inundação e alagamento.

A Defesa Civil orienta as pessoas que moram em áreas de risco, a entrarem em contato pelos números 193 ou 190, em caso de inundação do local onde moram. Outro número é o 199, disponibilizado pela Prefeitura de Macapá. “Ligando para qualquer um desses números, a população terá recursos técnicos e logísticos integrados à sua disposição”, garantiu o coronel Wagner Coelho.

Participaram do encontro em que foram definidas essas medidas, representantes da Defesa Civil Estadual, Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (Sims), Defesa Civil Municipal, Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur) e Guarda Civil Municipal.

Outros municípios

Os órgãos estaduais também já traçaram estratégias para enfrentar possíveis inundações em outras cidades do Amapá. Já existe um plano de contingência preparado pela Defesa Civil Estadual para atuar nos 16 municípios. A preocupação foi, principalmente, manter a integridade das pessoas eventualmente afetadas com alagamentos.

Em 2018, o Executivo pagou quatro parcelas do cofinaciamento do Fundo Estadual de Assistência Social, ao Fundo Municipal de Assistência Social. O valor foi destinado aos 16 municípios e pode ser utilizado, inclusive, em situações de emergência.

GALERIA DE FOTOS

 Créditos:Maksuel Martins/Secom