Fachin nega pedido de ex-presidente do Peru para acesso a delações da Odebrecht

0
21

 

Fachin argumentou que o conteúdo está em segredo de Justiça e os dados não podem ser compartilhados sem um procedimento próprio de cooperação internacional.

 

Em depoimento, o empresário Marcelo Odebrecht afirmou ter repassado três milhões de dólares para a campanha que elegeu Ollanta Humala presidente, em 2011. Em julho do ano passado, a Justiça peruana mandou prender preventivamente Humala e a mulher.

 

Para a Justiça dos Estados Unidos, a Odebrecht admitiu ter pago 800 milhões de dólares em propina em 12 países, entre os anos de 2001 e 2016, desencadeando uma série de investigações.