GEA e Fundação Palmares mobilizam comunidades de Mazagão para a III Virada Afro – Correio Amapaense

GEA e Fundação Palmares mobilizam comunidades de Mazagão para a III Virada Afro

Previsto para ocorrer entre 29 de junho e 1° de julho, evento divulga, fortalece a cultura afro e seus elementos, o empreendedorismo, gera emprego e renda.

Por: Eloisy Santos

 Foto: Marcelo Loureiro
Comitiva do governo e da Fundação Palmares percorreu a Vila de Mazagão Velho e reuniu com moradores sobre a Virada Afro

Nesta quinta-feira, 19, representantes do Governo do Estado do Amapá (GEA) e da Fundação Cultural Palmares – órgão do governo federal – estiveram em Mazagão Velho, berço da cultura amapaense, para mobilizar as comunidades e divulgar a III Virada Afro – Circuito Cultural Amapá Afro, prevista para ocorrer no município de Santana, entre 29 de junho e 1° de julho.

As equipes do governo estadual e federal juntaram-se à comitiva da Prefeitura de Mazagão e vereadores locais. Percorreram a orla da cidade, passando por pontos turísticos como a Igreja Nossa Senhora da Assunção, e ainda visitaram a Associação Maracá Cunani, que produz peças em argila, que retratam a história da cultura afro e mazaganense.

No “Barracão de São Tiago”, orla da cidade, conversaram com a comunidade e representantes de grupos tradicionais de marabaixo, acerca da importância do evento e da participação massiva da população. A Virada Afro Cultural visa fortalecer e disseminar a cultura afro e seus elementos, ofertar capacitações, entretenimento, fomentar o empreendedorismo e a geração de emprego e renda.

Oportunidades

O chefe-adjunto do Gabinete Civil do governador, Carlos Marques, destacou que a Virada Afro não é somente uma forma de vitrine para a cultura afro-brasileira. “Queremos trabalhar o viés econômico, explorando o potencial desse público, mostrar que é possível a subsistência através de sua gastronomia, arte e de outros produtos”, salientou Marques.

Ele também pontuou que, apesar de estas primeiras edições do evento acontecerem na Região Metropolitana de Macapá, Santana e Mazagão, já estão sendo pensados mecanismos para descentralizar ainda mais a programação. “A pretensão é que a virada do mês de junho passe a ser itinerante entre os municípios do Estado e a virada do fim do ano continue sendo realizada na capital, Macapá, junto com o réveillon da Beira-Rio”, pontuou Carlos Marques.

O presidente da Fundação Palmares, Erivaldo Oliveira, demonstrou satisfação com a aliança e esforços do governo e demais apoiadores para a realização do evento, e mencionou que isso influencia no sucesso da programação, como ocorreu nas edições anteriores.

“É imprescindível capacitar, mobilizar, sensibilizar e mostrar para os empreendedores, para os fazedores de cultura e população em geral que é possível viver daquilo que produzimos através das nossas raízes. Esse evento é a representação de que estamos de mãos dadas para fortalecer essa cultura que gera emprego e fortalece a economia”, ressaltou Oliveira.

Em todo o município de Mazagão, segundo a Secretaria de Cultura do município, há cerca de 12 grupos culturais tradicionais. Dentre eles, o Grupo Cultural Raízes do Marabaixo Infantil, que atua para perpetuar a tradição de geração a geração, há mais de 16 anos, segundo sua coordenadora, Simone Reis, 36 anos, nascida e criada em Mazagão Velho.

Simone registrou que o grupo participou das duas primeiras edições da Virada Cultural, e desta vez não será diferente. “Nós acreditamos que as crianças são o futuro da nossa cultura, do nosso Estado e do nosso país. O marabaixo é a nossa identidade, e iniciativas como essa proporcionam maior visibilidade, aceitação, resgate, manutenção e respeito das outras pessoas com a nossa história”, comemorou Simone, considerando ainda que espera em breve uma edição do evento na vila de Mazagão.

O prefeito de Mazagão, Dudão Costa, afirmou que irá incentivar e apoiar a participação das comunidades do município. “Esta é uma grande iniciativa, que reúne cultura e oportunidades. E Mazagão é o berço da cultura afro, da cultura amapaense, portanto, daremos todo o apoio necessário para que a população participe massivamente”, frisou o gestor.

Programação

Entre os destaques da programação da terceira Virada Afro está a Feira do Afroempreendedor, que beneficiará cerca de 60 empreendedores com a exposição e comercialização de produtos afro-étnicos, como roupas, cosméticos, artesanato, gastronomia e outros. Esses empreendedores serão, antes, capacitados através de parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O evento ainda contará com manifestações religiosas e de costumes de matriz africana, como búzios, tarô e benzedeiras. Ainda haverá espaço para entretenimento, com atrações artísticas locais e nacionais.

A Virada Afro é realizada em parceria entre o GEA, através da Secretaria Extraordinária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro) e Fundação Cultural Palmares. Também conta com apoio da Prefeitura Municipal de Santana e recursos de emenda do deputado federal Marcos Reátegui, com contrapartida do Estado.

GALERIA DE FOTOS

 Créditos:Marcelo Loureiro / Secom

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION