Governo do Estado inicia entrega de kits da ajuda comunitária em Laranjal do Jari – Correio Amapaense

Governo do Estado inicia entrega de kits da ajuda comunitária em Laranjal do Jari

Entrega foi acompanhada pelo vice-governador, Papaléo Paes, e o ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua Andrade.
Por: Gabriel Dias

 Foto: Maksuel Martins / Secom
Leane do Socorro Moura foi uma das beneficiadas com a ajuda humanitária enviada pela União a pedido do Governo do Amapá

O Governo do Amapá iniciou nesta terça-feira, 22, a entrega dos itens da ajuda humanitária enviados pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil aos afetados pela cheia no Rio Jari, em Laranjal do Jari. A entrega foi acompanhada pelo vice-governador do Estado, Papaléo Paes, e o ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua Andrade.

A ajuda do governo federal veio após uma solicitação do governo do Estado para que o Ministério da Integração Nacional encaminhasse ajuda humanitária para as pessoas afetadas pela inundação no município. “Desde o mês de abril, o governo do Estado está em uma força-tarefa em Laranjal do Jari, participando ativamente do apoio a essas famílias, realizando o levantamento dos atingidos e solicitando a ajuda humanitária ao Ministério da Integração, que encaminhou esse apoio sem nenhum corte do que foi solicitado”, destacou o vice-governador.

Os kits são compostos por 1.955 cestas básicas, 1.955 kits de limpezas, 1.955 kits de higiene pessoal, 360 kits infantis, 165 kits de idoso e 2.094 colchões e 1.194 kits dormitórios. Além disso, são esperados, ainda para esta semana, a chegada de mais de 117 mil litros de água mineral (são 23.480 unidades de 5 litros).

O ministro Antônio de Pádua Andrade afirmou que a União dará todo o suporte solicitado pelo Governo do Amapá e pela prefeitura do município. “Nos comprometemos em dar uma resposta rápida à solicitação de ajuda para as pessoas atingidas pela enchente do Rio Jari, e viemos verificar essa distribuição, e já iniciar o trabalho de orientação no sentido de reconstrução dos problemas causados”, ressaltou o ministro.

A ajuda deverá ser concedida para cerca de 2 mil famílias cadastradas pelo governo do Estado, ainda no mês de abril. Um novo cadastro está sendo realizado, visando a solicitação de uma nova ajuda humanitária. Só nos últimos dois dias, mais de 1.300 domicílios foram visitados e cadastrados nesta segunda fase. As visitas continuarão até que se alcance todas as famílias afetadas pela enchente. “A previsão é que a gente totalize cerca de 4 mil famílias, com os dois levantamentos, levando, assim, a ajuda humanitária para todos os atingidos”, destacou o coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Wagner Coelho.

A dona de casa Leane do Socorro Moura, do bairro Santarém, foi uma das beneficiadas com a ajuda humanitária. Ela considera o apoio essencial nesse processo de reconstrução, após a enchente. “Essa ajuda é muito importante, pois muita gente perdeu seus bens com a água, então, todo o apoio que o governo e prefeitura nos deem é bem-vindo”, frisou.

Uma força-tarefa foi montada pelo governo do Estado, que está presente no município de Laranjal do Jari desde o mês de abril, quando o nível do Rio Jari começou a subir e afetar as famílias. Órgãos como a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil Estadual (Cedec), Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social (Sims), Companhia de Água e Esgoto (Caesa), Super Fácil, Secretarias de Estado de Transporte (Setrap), de Saúde (Sesa) e de Educação (Seed) foram mobilizados para prestar assistência às famílias atingidas.

Ajuda financeira

Assim como fez no município de Itaubal e no arquipélago do Bailique (Macapá), o Governo do Amapá decretou situação de emergência também em Laranjal do Jari e, de imediato, disponibilizou repasse financeiro no valor de R$ 160 mil para a prefeitura de Laranjal atender as famílias vitimadas. Agora, o governo do Estado realizou a liberação de um novo repasse para a prefeitura no valor de R$ 150 mil – totalizando R$ 310 mil em convênios.

Além disso, o Estado garantiu outros recursos como a contrapartida na assistência básica de saúde no valor de R$ 102 mil, a liberação do fundo rotativo da saúde no valor de R$ 240 mil e a liberação no Fundo de Assistência Social ao município no valor de R$ 20 mil.

Saúde

Equipes da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) percorreram as escolas onde as famílias desabrigadas e desalojadas encontram-se e também visitaram as rádios locais para explicar sobre a importância do cuidado com o contato e consumo de água, o manuseio adequado do hipoclorito de sódio, produto que garante melhor qualidade da água, dentre outras orientações.

O Governo do Amapá já distribuiu 8,5 mil unidades de hipoclorito de sódio enviadas pelo governo federal para a região. A Prefeitura de Santarém (PA) enviou outras 2,5 mil unidades que já foram distribuídas.

Também foram levados para Laranjal do Jari, pela equipe da Vigilância em Saúde, 400 doses de vacinas para reforçar a cobertura na região contra gripe, febre amarela, tétano e hepatites; e ainda medicamentos como soro antiofídico para o tratamento de picadas de cobras e o soro botrópico para doenças adquiridas com animais peçonhentos, como aranhas e escorpiões, além de medicamentos para tratamento de leptospirose.

Abrigos

Atualmente o Estado e a Prefeitura estão com três abrigos às famílias desabrigadas, sendo a Escola Estadual Mineko Hayashida, onde encontram-se 54 famílias, a Escola Estadual Conceição, com 11 famílias, e o clube de futebol B.Q, onde estão 18 famílias. As pessoas estão recebendo todo o suporte do Estado e Município, até que elas possam retornar às suas casas.

A autônoma Marlene Souza, que está abrigada com a família na Escola Estadual Mineko Hayashida, garantiu que o governo do Estado e a prefeitura estão prestando toda a assistência necessária aos desabrigados. “Nós vemos que eles estão fazendo o possível para garantir um pouco de dignidade para as famílias nesse momento difícil, e esperamos que esse apoio continue quando a maré baixar, para que a gente possa reconstruir nossas vidas”, esperançou-se Marlene.

Monitoramento

A elevação do rio, que chegou a 2,76 metros na última quinta-feira, 17, e que afetou mais de 12 mil pessoas de oito bairros da cidade, diminuiu 40 centímetros. Na manhã desta terça-feira, 22, a régua de medição do nível do rio apontou 2,35 metros. Com isso, as águas que cobriam ruas e avenidas do município baixaram, e o tráfego começou a ser normalizado.

Apesar dessa vazão da água, nenhuma família havia retornado às suas casas até o fechamento desta matéria. A Defesa Civil continua realizando o monitoramento e orientando as famílias a permanecerem nos abrigos até a normalização da situação.

GALERIA DE FOTOS
 Créditos:Maksuel Martins / Secom

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION