Iepa inicia exposição itinerante de arqueologia pela região do Pacuí – Correio Amapaense

Iepa inicia exposição itinerante de arqueologia pela região do Pacuí

Exposição revela um pouco da história do Amapá ao longo de seis mil anos e será levada para outros municípios do Estado.

Exposição apresenta resultados de pesquisas sobre lugares e objetos produzidos por pessoas que habitaram a região

Mostrar à sociedade um pouco da história do Amapá, ao longo de seis mil anos. Esse é o objetivo da exposição “A arqueologia sob nossos pés – conhecendo o patrimônio de nosso Estado”, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), que vai percorrer vários municípios amapaenses. A primeira comunidade a receber a mostra será Santa Luzia do Pacuí, na zona rural de Macapá, entre os dias 4 e 6 de abril.

A exposição faz parte do Programa de Educação Patrimonial do Iepa. De acordo com o diretor do órgão, Jorge Souza, é uma forma de compartilhar com a sociedade os resultados de pesquisas realizadas pelo Instituto e que contam um pouco da história do povo tucuju. “A exposição tem como objetivo proporcionar ao público o contato com os diferentes objetos encontrados em sítios arqueológicos, mostrando a riqueza cultural do Amapá”, completou Souza.

De acordo com Lúcio Costa, gerente do Núcleo de Pesquisa Arqueológica (NuPArq) do Iepa, o trabalho das escavações e outras pesquisas realizadas em várias regiões do Estado revelam a origem da cultura amapaense. “A arqueologia do Iepa tem estudado a história de muitos povos que viveram nesta região. Essas pesquisas mostram um passado que reúne histórias vividas por diferentes grupos indígenas, povos europeus e africanos, mistura que resultou em um Estado com grande diversidade cultural”, revelou Costa.

A exposição ficará em cartaz entre os dias 4 e 6 de abril, das 9h às 17h, na Escola Estadual Júlio Gonçalves da Costa, depois, percorrerá a comunidade de Santo Antônio da Pedreira, os municípios de Itaubal, Porto Grande, Ferreira Gomes, Oiapoque e várias escolas da cidade de Macapá.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION