Iniciam as obras do Hospital Regional de Porto Grande

0
15
Nessa primeira fase serão entregues 38 novos leitos. O projeto prevê ainda uma segunda fase com mais 33 leitos, que será executado pelo governo do Estado.

Por: Claudia Cavalcanti

 

 Foto: André Rodrigues
Governador Waldez Góes afirmou que o município de Porto Grande será transformado em polo regional de saúde

Nesta sexta-feira, 20, foi dado o pontapé inicial das obras da primeira fase do Hospital Regional de Porto Grande, que atenderá a média e alta complexidade da região centro-oeste do Estado. A nova unidade vai funcionar no mesmo local onde antes existia o hospital municipal, que foi demolido, e será referência no atendimento aos municípios de Porto Grande, Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio e Ferreira Gomes.

A obra está orçada em, aproximadamente, R$ 11,2 milhões. Os recursos são oriundos de acordos de compensação pelos impactos gerados na instalação da Usina Hidrelétrica (UHE) Cachoeira Caldeirão, no Rio Araguari, tendo o governo do Estado e a prefeitura de Porto Grande como articuladores com a empresa construtora. A obra será executada pela própria construtora da UHE, mas acompanhada por técnicos do Estado e Município.

O governador do Amapá, Waldez Góes, destacou o empenho de todos no trabalho de articulação junto à UHE, e frisou a importância que o Hospital terá não só para a população de Porto Grade, mas também para os usuários dos municípios vizinhos como Ferreira Gomes e Serra do Navio, além de ajudar a desafogar o atendimento na capital.

“Estamos vendo o resultado de um projeto que foi articulado durante meses. Vamos transformar o município de Porto Grande em um polo regional de saúde nesta região do Amapá. Tudo será feito com segurança, estamos direcionando o Estado para uma posição de crescimento. Tudo com responsabilidade, transparência, controle e equilíbrio fiscal”, explicou Góes.

A administração da unidade permanecerá sob a responsabilidade da Prefeitura Municipal de Porto Grande (PMPG), já Governo do Amapá manterá à disposição do município os servidores que já atuavam no hospital municipal além do fornecimento dos medicamentos. A média de investimento anual do estado na unidade hospitalar é de cerca de R$ 5,6 milhões e representa 52% do custeio do hospital.

Nesta etapa da obra o governo ficará responsável pelas obras do entorno da unidade, como estacionamento e a pavimentação interna e externa do hospital, além da construção dos muros.

O prefeito de Porto Grande, José Maria Bessa, reiterou a localização estratégica do município, que é cortado pelas BRs 156 e 210, o que aumenta o fluxo de pessoas em busca de atendimento no município. “Todos os meses, prestamos cerca de 6 mil atendimentos para a população, desse total, quase 4 mil são de usuários de outros municípios. Vamos tecer um novo momento na saúde do município, ofertando uma estrutura moderna para os nossos cidadãos”, comemorou o prefeito.

Nessa primeira fase serão entregues 38 novos leitos, o prazo dado pela UHE para a entrega é de 24 meses. O projeto prevê ainda uma segunda fase comais dois blocos e 33 leitos, que será executado pelo governo do Estado. Ao todo, serão 71 novos leitos.

O secretário de saúde, Gastão Calandrini reforçou que o Hospital vai contribuir para a descentralização dos atendimentos, que hoje, na sua maior parte, acontecem na capital. “O principal objetivo é fortalecer os atendimentos de média e alta complexidade nos municípios do interior do estado. Evitando esse transporte e sobrecarga da rede em Macapá e ainda oferecendo atendimento de qualidade para os nossos usuários”, explicou Calandrini.

A estudante Junelly Leal, mãe de uma criança de 5 anos, espera que a nova unidade contribua para a melhoria e ampliação do serviço para a população. “Temos uma expectativa de aumentar o número de consultas e atendimentos que nós precisamos. Já precisei ir algumas vezes a Macapá em busca de atendimento, com esse hospital vamos poder resolver tudo aqui no nosso município mesmo”, esperançou-se.