Inovação tecnológica – Correio Amapaense

Inovação tecnológica

Somente seis projetos de inovação tecnológica seguem para a segunda fase do Programa de Inovação com Tecnologia da Informação (PITI), chamada de pré-aceleração. Esta fase começa na segunda-feira, 16, de 8h às 13h, na unidade I, do Centro de Incubação de Empresas (CIE), no bairro Jardim Marco Zero, em Macapá, com duração de quatro meses. No mês de março, foram apresentados sete projetos durante o Seminário de Avaliação do PITI, do total de 18 inscritos.

Nesta fase de pré-aceleração, que vai até 25 de julho deste ano, os participantes recebem treinamentos técnicos que consistem em planejamento estratégico, financeiro, planos de mercado e marketing. Eles também participam de oficina sobre propriedade intelectual, direitos de produtos e processos de conhecimentos.

Durante o período de aprendizagem para a construção dos novos empreendimentos voltados à área da tecnologia, os futuros empreendedores, terão conhecimento detalhado sobre negócios, diretrizes, missão, objetivos, metas e criação de planos de ação. E, também, do plano de mercado que inclui pesquisa de anterioridade, pesquisa de mercado, definição de clientes e principais fornecedores, concorrentes, pesquisas, marca, preço, praça, produtos, pessoas, promoção, investimento inicial, receita e outros.

Os projetos são voltados para as áreas da saúde, desenvolvimento econômico e administração pública do Estado. A capacitação é realizada por profissionais das áreas tecnológicas e de pesquisa, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) e do Centro de Gestão de Tecnologia da Informação (Prodap).

De acordo com o chefe do Centro de Incubação de Empresas do Iepa, Jonathan Araújo, o programa é divido em três etapas: processo de seleção dos inscritos; capacitações e a seleção das cinco propostas que irão receber o fomento do Governo do Estado, para a implantação projeto.

“No final da pré-aceleração, iremos reunir os parceiros do programa e fazer a apresentação desses projetos já finalizados numa rodada de conversa. A partir daí, serão selecionados os cinco que irão receber o recurso para subsidiar a implantação das novas empresas ajudando a melhorar o serviço público”, explicou Araújo.

PITI

Os valores disponibilizados para financiamento dos projetos aprovados pelo PITI são de R$ 50 mil, para financiamento individual até o teto máximo de R$ 250 mil. O programa é desenvolvido em parceria com instituições de ensino e de pesquisa como a Universidade Federal do Amapá (Unifap), Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), Fundação de Amparo e Pesquisa do Amapá (Fapeap), Prodap, entre outras.

O objetivo é fomentar projetos na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e estimular iniciativas inovadoras relevantes, que proporcionem soluções de baixo custo para a gestão dos serviços públicos no Estado do Amapá.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION