Ipem/AP detecta irregularidades em olarias de Macapá e Santana

0
13
Fiscalização inédita encontrou irregularidades em tijolos, blocos de concretos e telhas cerâmicas que não apresentavam informações obrigatórias.

 

 Foto: José Baía / Secom
Responsáveis pela fabricação dos produtos receberam prazo de dez dias para apresentar defesa junto ao Ipem/AP

Pela primeira vez, o Instituto de Pesos e Medidas do Amapá (Ipem/AP), realizou uma fiscalização para averiguar a fabricação de blocos cerâmicos de vedação, conhecidos popularmente como tijolos, blocos de concretos e telhas cerâmicas. Batizada de “Casa forte”, a operação ocorreu no período de 16 a 20 de abril, em olarias de Macapá e Santana, para saber se os estabelecimentos estariam dentro das normas estabelecidas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

De acordo com o gerente do núcleo de gestão da qualidade do Ipem/AP, Simon Silva, as 12 empresas visitadas tinham algum tipo de irregularidade. “A maior parte dos produtos fiscalizados não apresentava informações como a identificação do fabricante, o lote ou a data de fabricação e as dimensões, que são itens obrigatórios, e por isso, foram notificados”, acrescentou Silva.

As olarias foram notificadas e terão dez dias para apresentar defesa junto ao departamento jurídico do Ipem/AP.

Os responsáveis pelos estabelecimentos foram orientados sobre as adequações que devem ser feitas nas próximas produções, para que os materiais atendam às normas exigidas pelo Inmetro. “Dentro de alguns meses, retornaremos a estes estabelecimentos para saber se estes se adequaram às normas. As empresas poderão sofrer sanções que vão desde advertência até multa que varia de R$ 100 a R$ 1,5 milhão”, concluiu o gerente.