Mais de 4 toneladas de pescado foram apreendidas durante o defeso no Amapá

0
2
Fiscalizações se concentraram no porto do Grego; após inspeção sanitária, produtos foram doados a instituições filantrópicas de Macapá e Santana.

 

 Foto: Divulgação/Imap
Segundo o Imap, as cubas são enviadas de ilhas do Pará por terceiros até Santana, onde alguém fica responsável pela retirada do peixe

As fiscalizações feitas pelo Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), durante o período de defeso, resultaram na apreensão de mais de 4 toneladas de pescados este ano.

De acordo com a coordenadora de fiscalização do Imap, Edilene Ribeiro, as fiscalizações se concentraram no porto do Grego, no município de Santana, um dos locais de maior movimentação de cargas e passageiros no estado. “Este ano, teve um aumento significativo na quantidade de pescado apreendido em relação às fiscalizações de períodos anteriores”, destacou.

A coordenadora acrescentou que não houve responsabilização de proprietários dos produtos, porque ninguém se identificou como sendo responsável pelos pescados. “Geralmente, as cubas são enviadas de ilhas do Pará por terceiros até Santana, onde alguém faz a retirada do produto. Quando a fiscalização chega ao local, ninguém se manifesta, até porque, são cientes das sanções que poderão sofrer”, detalhou Edilene.

Espécies de pescados como tambaqui, tamuatá, aruanã, pescada e filhote, foram a maioria das apreensões. Após passarem pela inspeção da vigilância sanitária, os peixes foram doados para instituições filantrópicas de Macapá e Santana.

Defeso

No Amapá, o defeso vai de 15 de novembro a 15 de março. A pesca e a comercialização das espécies ficam proibidas por lei, para garantir o período de reprodução dos peixes, conhecido como piracema. Quem for flagrado pescando ou vendendo, pode sofrer penalidades como prisão e multa que pode chegar a R$ 100 mil.

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui