Motorista que arrastou vítima por 4 km em Brasília é identificado

0
21

Motorista que arrastou vítima por 4 km em Brasília é identificado

O motorista que arrastou a vítima por 4 Km permanece desaparecido. Ele fugiu do local do acidente e o carro foi encontrado em uma oficina


Polícia Civil do Distrito Federal identificou o motorista suspeito de colidir contra uma motocicleta, e arrastar uma das vítimas por mais de 4 quilômetros enquanto fugia.

Fontes da polícia disseram ao Correio que trata-se de um homem, de 32 anos. A batida ocorreu às 2h20 do último domingo (16/8), em um pardal de velocidade da QI 19 do Lago Sul. A jovem de 18 anos estava na garupa da moto e ficou com a parte superior do corpo queimada, perdeu uma das mamas e teve a mão esquerda amputada. O namorado dela também se feriu.


Agentes da 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul) localizaram o carro na manhã desta terça-feira (18/8), em uma oficina do Guará. Imagens a que o Correio teve acesso com exclusividade mostram a frente do carro completamente amassada, e o protetor inferior do motor solto. A reportagem também apurou que o automóvel está no nome de uma mulher, moradora do Jardim Botânico.

O motociclista, Douglas Gonçalves dos Santos, 20, seguia pela via com a namorada na garupa, a jovem Paula Thais Gomes Oliveira, 18. Um casal de amigos também trafegava no local e foi testemunha do acidente. O condutor do carro deixou o local passando por cima das pernas de motoboy e da motocicleta.
Ao fugir pela via, Paula Thais ficou presa na parte frontal do automóvel e foi arrastada até a QI 23. Um amigo das vítimas seguiu o suspeito e foi o responsável por encontrar a jovem, inconsciente. Socorristas do Corpo de Bombeiros encaminharam a mulher em estado grave ao Hospital de Base.
Na unidade hospitalar, Paula Thais passou por duas cirurgias: uma para reconstrução de mama, pois perdeu um dos seios ao ser arrastada no asfalto, e um religamento da mão. O último procedimento, contudo, foi em vão. Ainda na segunda-feira (17), os médicos decidiram amputar a mão esquerda.
Sarah Peres – Correio Braziliense

(foto: PCDF/Divulgação)