“Pedra do Guindaste”: Uma lenda revela que, se retirarem a Pedra, as águas irão subir e Macapá será encoberta – Correio Amapaense

“Pedra do Guindaste”: Uma lenda revela que, se retirarem a Pedra, as águas irão subir e Macapá será encoberta

Na década de 1940, um navio naufragou e, para marcar o local, construíram o atual bloco de concreto chamado “Pedra do Guindaste”, que tem sobre ela a imagem de São José, padroeiro de Macapá.
Uma lenda revela que, se retirarem a Pedra, as águas irão subir e Macapá será encoberta. Dizem que nesse local existe um fantasma de uma mulher que teria morrido afogada. Ela aparece submergindo das águas, durante a noite, pedindo socorro para depois desaparecer.

Bom comecei ir atras desta historia, ma a varias historias sobre esta pedra, pelo que percebi essa e uma historia que vai mudando com tempo como varias do tipo aqui vai algumas historias sobre este local. 

A Pedra do Guindaste é um monumento localizado em frente à cidade de Macapá, ao lado do Trapiche Eliezer Levy, dentro do Rio Amazonas. Trata-se de uma pedra muito grande. Sobre ela encontra-se a imagem de São José abençoando a cidade, feita pelo escultor português Antônio Ferreira da Costa.
No século passado, a Pedra do Guindaste teve como finalidade servir de alvo aos exercícios de tiro dos soldados, ao lado norte da Fortaleza de São José.
A famosa pedra é conhecida por suas lendas que fazem parte da rica cultura do caboclo amapaense. Uma delas é contada pelos moradores  da antiga rua da Praia e Igarapé das mulheres, hoje bairro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Afirmam existir na pedra uma cobra grande, com dimensões ainda não calculadas, que na maré de reponta – ou seja, quando a água do rio não está na cheia e nem na vazante – sai dali para tomar água, de maneira que a mesma nunca conseguiu cobrir a pedra. Se porventura, alguma autoridade tiver a infelicidade de mandar retirar a pedra do rio, a água do Amazonas subirá tanto, que Macapá toda irá para o fundo.
Outra versão da lenda é que havia na tribo dos Tucuju – primeiro povo habitante dessa terra – uma índia muito bonita, apaixonada por um índio que todas as manhãs saía pela praia em busca de alimento. Quando ele saía, a namorada acompanhava-o até a praia e lá ficava o dia todo, até o sol pousar na Lagoa dos Índios, quando o índio voltava e a levava para a maloca. Isso acontecia todos os dias e começou logo a ser observado pela tribo. Num certo dia, de manhã cedo, como acontecia todos os dias e começou logo a ser observado pela tribo. Num certo dia, de manhã cedo, como acontecia sempre, o índio desceu o rio pela praia e sua amada ficou à espera no local de sempre, mas aconteceu que ele não voltou. A noite chegou, a índia desesperada ainda o esperava em vão. Acocorou-se e chorou a noite toda, dias e dias, e lá morreu. No lugar de suas lágrimas nasceu a pedra com formato de corpo de mulher, que mais tarde, muitos anos depois passou a ser conhecida como Pedra do Guindaste.


Foto da pedra anos 50

Pedra do Guindaste – O detalhe fotográfico mostra como era aquele aglomerado de rochas localizadas em frente à cidade ao lado do Trapiche Eliezer Levy, cerca de 300 metros da margem do Rio Amazonas.


A pedra original

A pedra original foi derrubada pela colisão de um barco. Em seu lugar foi construído um bloco de concreto e sobre ele foi colocada uma imagem de São José – Padroeiro de Macapá.

About the author

Related