Peixe Popular: comercialização de 90 toneladas movimenta R$ 800 mil na piscicultura

0
1
Vendas foram contabilizadas no período da Semana Santa; projeto foi ampliado de três, para nove municípios, em 2018.

 

 

 Foto: Irineu Ribeiro/Secom
O governo investiu R$ 200 mil em subsídios que incluiu vestimenta, acessórios de manejo alimentar, logística de transportes com caminhões e gelo, caixa d’água e outros

A Agência de Pesca do Amapá (Pescap) divulgou o balanço da comercialização de pescado do programa Peixe Popular, do Governo do Estado. O projeto foi executado entre os dias 27 e 30 de março em 9 municípios, alusivo à Semana Santa.

De acordo com o diretor-presidente da Pescap, Edson França, mais de 90 toneladas de pescado foram comercializadas em 16 pontos espalhados nos municípios atendidos pelo programa e movimentaram mais de R$ 800 mil na economia.

“O diferencial este ano, foi a expansão do programa que, além de Macapá, Santana e Porto Grande, alcançou outros seis municípios, proporcionando à população destas regiões, o acesso ao pescado mais barato durante este período”, destacou Edson França.

Em Macapá, os pontos funcionaram nos bairros Congós, Muca, Zerão, Perpétuo Socorro, Buritizal, Pacoval, Novo Horizonte, Infraero II e Marabaixo. Esses bairros foram responsáveis por comercializar aproximadamente 80 toneladas de pescado e movimentaram mais de R$ 400 mil, gerando mais de 100 empregos diretos e indiretos.

Em Santana funcionaram dois pontos, um no Igarapé da Fortaleza e outro no bairro dos Remédios, onde foram vendidas aproximadamente 4 toneladas de pescado movimentando mais de R$ 32 mil na cidade.

Nos demais municípios, as vendas ocorreram em dois dias e resultaram em R$ 182 mil com a comercialização de 16 toneladas de pescado. “Além do aquecimento da economia, outro ponto importante do programa foi a geração de mais de 40 empregos diretos e indiretos no interior do Estado”, reforçou Edson França.

O diretor-presidente da Pescap acrescentou que, essa movimentação financeira, representa apenas os pontos subsidiados pelo Governo do Estado, sem contar as vendas no entorno das tendas e outros serviços e produtos correlatos ao Peixe Popular.

O estado investiu R$ 200 mil em subsídios que incluiu vestimenta, acessórios de manejo alimentar, logística de transportes com caminhões e gelo, caixa d’água e outros. Participaram desta edição do programa, 72 piscicultores e mais de 120 empreendedores. “Alcançamos o objetivo principal que foi levar o produto a preço acessível à população”, finalizou França.

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui