Polícia Civil do Amapá deflagra operação contra crimes cibernéticos

0
1
Foram cumpridos seis mandados de prisão, busca e apreensão nesta quinta-feira, 3. Suspeitos são investigados por estelionato aplicado por redes sociais.

 

 Foto: Netto Lacerda/Sejusp
O golpe foi descoberto depois de um caso de estelionato registrado no Rio de Janeiro

A operação foi coordenada pela 10ª Delegacia de Polícia de Fazendinha, com o apoio da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) e Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DECCP).

Dos oito mandados de prisão expedidos pela justiça, seis foram cumpridos, nos bairros Renascer e Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá. Entre os presos, duas mulheres. Junto com a quadrilha, a polícia apreendeu dois celulares e três notebooks.

As investigações começaram, a partir de um boletim de ocorrências registrado no Estado do Rio de Janeiro, que notificou uma fraude na compra de um smartphone, na página da rede social identificada como “Requisitadotênis”.

Os estelionatários atraiam as vítimas pelo aplicativo Instagram, com a oferta de produtos caros e de luxo com preços bem abaixo do praticado no mercado. Eles anunciavam smartphones, tablets, relógios, tênis, mas os produtos nunca eram entregues.

De acordo com o titular da delegacia de Fazendinha, delegado Nixon Kenedy, houve registro de vítimas do grupo em pelo menos 16 estados do Brasil. O golpe rendeu aos estelionatários mais de R$ 50 mil.

“A quadrilha teria arregimentado pessoas para participarem nas fraudes, cedendo contas correntes e poupanças para que o grupo pudesse obter a vantagem ilícita usurpada das vítimas”, revelou Kenedy.

Foram apontados três líderes e, pelo menos, cinco operadores do esquema que, também recebiam recursos com as fraudes. Duas pessoas consideradas líderes do grupo encontram-se foragidas. Os presos serão interrogados e encaminhados para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), onde ficarão à disposição da justiça e, deverão responder pelos crimes de estelionato, associação criminosa e falsidade ideológica.

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui