Prazo para declarar Imposto de Renda vai até 30 de junho – Correio Amapaense

Prazo para declarar Imposto de Renda vai até 30 de junho

    

Os usuários podem baixar o arquivo no site do órgão ou tentar via aplicativo disponível para celular.

 Os usuários podem baixar o arquivo no site do órgão ou tentar via aplicativo disponível para celular. | Marcello Casal/Agência Brasil

Até o início da manhã de ontem, mais de 386.096 declarações de Imposto de Renda já haviam sido entregues no Pará. A quantidade representa cerca de 63,4% da expectativa da Receita Federal no Estado. O número pode ser considerado alto, mas se levar em consideração que o período de declaração começou ainda no mês de março, o ritmo para a entrega da documentação tem sido lento, com pelo menos 223 mil pessoas ainda em pendência com a declaração. É o que afirma a supervisora Regional do Imposto de Renda no Pará, Luiza Maria Rodrigues Pinto, que destacou a importância de entregar a declaração o quanto antes, para ter tempo suficiente de corrigir alguma informação que possa ser preenchida de forma equivocada ou até mesmo ser um dos primeiros a receber o valor da restituição.

Além disso, a superintendente destacou ainda que a entrega de forma antecipada da declaração ajuda a fazer o preenchimento de todos os dados de forma tranquila, sem se preocupar com a data limite, marcada para o próximo dia 30 de junho. “Normalmente o brasileiro deixa tudo para última hora. Quanto mais cedo você entrega, você tem mais chance para corrigir uma possível informação errada, o contribuinte pode saber se está tendo alguma incoerência entre as informações fornecidas e da Receita e solicitar a alteração”, explica.

A falta de atenção com os dados recolhidos também pode ser um adversário difícil na hora de enviar a declaração à Receita Federal. Luiza Maria afirma que o maior índice de retenção da declaração é a omissão de rendimentos, seja do próprio declarante ou de dependentes, como pais, cônjuges e filhos, por exemplo. Tudo deve ser entregue com a maior exatidão. “No momento em que você os inclui (dependente), se eles tiverem pagamentos, é preciso informar na declaração todo e qualquer rendimento que tenham recebido”, observa.

As despesas médicas representam outro ponto que precisa ser informado e, de acordo com a supervisora da Receita Federal, os valores enviados pelo cidadão comum são cruzados com as informações enviadas pelas próprias instituições médicas e profissionais da área da saúde. “A receita hoje cruza toda a declaração com informações que clínicas e laboratórios informam, incluindo todas as despesas de pacientes. Se houver valores divergentes, será retido na malha fina”, alerta.

CONSEQUÊNCIAS

O contribuinte que não fizer a declaração do Imposto de Renda poderá pagar uma multa no valor de R$ 165,74, no mínimo. Mas a multa pode ser maior e chegar até mesmo a 20% do valor referente ao imposto não declarado. Além disso, o CPF ficará em situação irregular e uma série de serviços serão bloqueados ao contribuinte que não regularizar sua situação. Entre as mais graves estão a impossibilidade de realizar operações financeiras, inscrições em concursos públicos e até mesmo tirar outros documentos como o passaporte, por exemplo.

Para realizar o envio da declaração do imposto de renda, o contribuinte tem diversas opções. A primeira delas e mais conhecida do contribuinte habitual é baixar o Programa Gerador da Declaração (PGD IRPF 2020), disponível no próprio site da Receita Federal na internet.

Além disso, existe a opção de fazer a declaração no próprio smartphone, seja ele Android ou IOS, com o download do programa “Meu Imposto de Renda” no Google Play ou AppStore. Por fim, para quem possuir certificado digital, tem como opção acessar o Centro Virtual de Atendimento e-CAC no site da Receita, local onde a declaração estará pré-preenchida. Bastando apenas validar os dados.

Autor: Tiago Furtado/Diário do Pará

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION