Projeto para criação do Parque Natural Municipal de Castanhal é concluído

0
6
O diretor de Gestão da Biodiversidade (DGBio) do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), Crisomar Lobato, e a Técnica de Criação de Unidades de Conservação, Jocilete Ribeiro, entregaram à Prefeitura Municipal de Castanhal, na quinta-feira, 10, os documentos necessários para a criação do Parque Natural Municipal de Castanhal (PNMC). FOTO: ASCOM IDEFLOR-BIO DATA: 11.05.2018 CASTANHAL - PARÁ

Dentre os documentos repassados à Prefeitura estão o resumo dos estudos técnicos da área que comporá o Parque, relatório da consulta pública sobre a criação do espaço realizada em fevereiro e aprovada em plenária, além dos instrumentos legais, como a minuta do projeto de lei municipal, o memorial descritivo do território, exposição dos motivos e ficha técnica para a criação legal do PNMC.

O Parque Natural Municipal de Castanhal será implantado numa área de cerca de 15 hectares, no bairro do Carirí, zona urbana do município. O terreno possui, aproximadamente, o tamanho do Bosque Rodrigues Alves e apresenta várias peculiaridades.

“Esse Parque será uma relíquia da floresta tropical amazônica encrustada no meio da cidade de Castanhal e, além disso, é um bosque natural urbano, mas que foi enriquecido com a plantação de espécies amazônicas ameaçadas de extinção”, explica Crisomar Lobato.

As espécies foram identificadas durante a realização dos estudos técnicos para a criação do Parque. São 10 árvores de espécies amazônicas como a Castanheira-do-Pará, em risco de extinção, e o Pau Amarelo, em crítico risco de extinção; há também uma árvore de Pau Brasil, que é típica da Mata Atlântica brasileira, mas que foi plantada no território do Parque e, além de ser um dos símbolos do país, também consta na lista nacional de espécies da flora ameaçadas de extinção.

O novo Parque será uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, cujo território é voltado para a conservação da biodiversidade e a promoção do turismo, cultura e educação ambiental. Além disso, o Parque terá também o compromisso com o desenvolvimento social das populações que vivem no entorno.

“A criação do parque tem grande importância ecológica e social, pois serve para a melhoria das condições sanitárias, de segurança e também como uma forma de lazer para a população, principalmente do bairro Cariri”, acrescenta Crisomar Lobato.

Após a entrega dos documentos à Prefeitura de Castanhal, o próximo passo para a implantação do Parque é a aprovação da lei na Câmara Municipal de Castanhal. Todo o processo de criação do Parque Nacional Municipal de Castanhal faz parte do projeto “Apoio à Criação de Unidades de Conservação da Natureza Municipais”, coordenado pela DGBio. O projeto fornece auxílio técnico aos municípios paraenses que desejam implementar essas Unidades em seu território.

“A primeira fase do processo de criação de uma UC contempla os estudos e diagnósticos dos meios físico, biológico, socioeconômico, cultural, infraestrutura e saneamento básico da área; a segunda fase é a consulta pública envolvendo as Entidades públicas, as organizações da sociedade civil e a população em geral do município, propiciando os encaminhamentos para a criação legal da Unidade de Conservação”, acrescenta Crisomar Lobato. Além do Parque de Castanhal, o Ideflor-bio já auxiliou também a criação do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Lago Mole, no município paraense de Jurutí.