Saber popular impressiona visitantes durante Exposição a Céu Aberto do Museu Sacaca

0
1
Visitantes acompanharam de perto como é feita a produção de farinha e prestigiaram a encenação de um parto normal na Casa das Parteiras.

 

 Foto: Irineu Ribeiro/Secom
Em dias normais, a Casa de Farinha é apenas expositiva. Mas, nesta sexta-feira, 6, ela foi ‘ocupada’ para a produção real do produto

No dia em que a Exposição a Céu Aberto do Museu Sacaca completou 16 anos, o local atraiu dezenas de visitantes com a programação organizada pelo Governo do Amapá. Música regional, batuque, marabaixo, artesanato e oficinas pedagógicas mantiveram os visitantes envolvidos nos eventos, principalmente, caravanas de estudantes, nesta sexta-feira, 6

Houve quem se encantasse com o local que retrata os costumes da vida no campo. São espaços como a Casa da Farinha, Casa das Parteiras, Casa do Ribeirinho e Casa do Castanheiro que contam com utensílios encontrados na área rural, fazendo com que o visitante se sinta no mesmo ambiente retratado.

A riqueza de detalhes da Casa do Ribeirinho, por exemplo, deixou o autônomo José do Amaral maravilhado com o que viu. Nascido no interior do município de Breves, no estado do Pará, e morando há um ano em Macapá, foi a primeira vez que ele visitou o Museu Sacaca. “Já tinham me falado sobre este espaço. A semelhança com as casas feitas onde eu nasci, são muito parecidas. Tudo parece ser real”, notou.

Já a Casa da Farinha, que é apenas expositiva em dias normais de visitação, nesta sexta-feira, foi ‘ocupada’ com uma produção real de farinha e que chamou a atenção dos estudantes que acompanharam de perto como é feito esse trabalho pelos ribeirinhos. Eles também visitaram outros espaços como o barco “O Regatão”.

A programação de aniversário da Exposição a Céu Aberto do Museu Sacaca contou, ainda, com a encenação de um parto normal na Casa das Parteiras. A coordenadora pedagógica da Escola Estadual Prof. Antônio Figueiredo da Silva, localizada na comunidade do Torrão do Matapi, Vânia Picanço, considerou o momento especial. “É uma oportunidade de presenciar o trabalho realizado por mulheres que foram responsáveis por trazer ao mundo, tantas crianças. É algo único que, com certeza, nos faz valorizar este saber popular tão importante na nossa região”, descreveu.

A coordenadora pedagógica lembrou que esse tipo de programação, como visitas a museus, faz parte de uma ideia defendida pelo educador e filósofo brasileiro Paulo Freire, a de que a educação não acontece apenas entre quatro paredes. “É uma aula diferente, é o momento de os estudantes vivenciarem muito além do que é repassado em sala de aula”, frisou Vânia Picanço.

O diretor-presidente do Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas do Estado do Amapá, (Iepa), Jorge Souza, destacou a importância de os educadores incentivarem os alunos a prestigiar eventos culturais.

“Essa grande procura que temos registrado de visitas ao Museu Sacaca nos deixa felizes por saber que há interesse dos educadores, em proporcionar a esses estudantes, um pouco de conhecimento sobre a nossa região”, registrou Souza, mencionando outras programações que vem sendo executadas dentro da campanha “Vem Pro Museu – Valorize, que é Nosso”, idealizada para atrair o público amapaense para o espaço.

Serviço

O Museu Sacaca está aberto para visitas de terça a domingo, das 9h às 17h, com entrada franca. Na segunda-feira, o museu é fechado para visitação pública. Mas, pode ser reservado, exclusivamente, para atividades de ensaios fotográficos de formaturas, books pessoais e coletivos, gravações de documentários, entre outros, também sem cobrança de taxa. Neste caso, é preciso entrar no site www.museusacaca.ap.gov.br para fazer o pré-agendamento.

GALERIA DE FOTOS
 Créditos:Irineu Ribeiro/Secom

Deixar uma resposta

Por favor, inscreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui