Saúde mental da juventude é tema de reunião preparatória para formação de rede de apoio municipal – Correio Amapaense

Saúde mental da juventude é tema de reunião preparatória para formação de rede de apoio municipal

 

A Prefeitura de Macapá reuniu-se na quarta-feira, 25, com órgãos municipais e movimentos sociais que tratam sobre a saúde mental de jovens na capital. A reunião teve como objetivo criar uma rede de enfrentamento ao suicídio e de propagação de atividades de prevenção e informação sobre saúde mental através da efetivação de políticas públicas voltadas ao tema.

 

Foram debatidas atividades que pudessem englobar a juventude de Macapá e discutir o tema de forma preventiva ao longo de 2018 e 2019. Uma das propostas foi a realização de um evento em que as entidades parceiras possam desenvolver atividades e direcionar o público jovem para a discussão principal, além da elaboração de uma Carta Consulta, que visa auxiliar na busca pelo atendimento para os diversos chamados existentes da comunidade.

 

O coordenador municipal de Juventude, Otto Ramos, que convocou a reunião, destacou a importância de estar debatendo o tema com os jovens de Macapá e também com aqueles que já estão envolvidos nos projetos sociais. “A ideia inicial era que o tema saúde mental e juventude compusesse um outro evento que já temos na coordenadoria, que é o Cartas para a Juventude, mas, diante da importância do assunto, entendemos que é importante fazer um trabalho mais específico sobre isso”, explicou Otto Ramos.

 

“Estamos reunidos com várias pessoas que já entendem do assunto e trabalham com isso continuamente. A intenção é ampliar essa rede que já existe para montarmos um plano de trabalho que possa ser continuado não apenas em um evento único, mas que atinja o público ao longo desse ano e os próximos”, ressaltou Willy Miranda, também da Coordenadoria de Juventude.

 

O psicólogo da Universidade Federal do Amapá, Washington Luís, que já desenvolve trabalhos de prevenção ao suicídio e outros assuntos relacionados à saúde mental, explicou que atualmente há um grupo dentro da Unifap trabalhando na criação de um aplicativo que torne esse atendimento mais acessível. “Temos a necessidade de formar uma rede de assistência para atender essa comunidade, o que já estamos fazendo junto com os grupos com os quais já tivemos reuniões, a intenção é que todos que cheguem ao pronto socorro, Hospital Alberto Lima, São Camilo, ou qualquer posto de saúde, possam sair desse local já com o encaminhamento para um atendimento específico e correto”, explicou o psicólogo.

 

Entre os diversos pontos ressaltados durante a reunião, ficou definido que será feito um mapeamento local das atividades e grupos já atuantes na divulgação das pautas de saúde mental, além da formação de um GT permanente para debates das pautas que surgirem a partir do evento ainda em processo de organização.

 

Rafaela Bittencourt

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION