Sem dinheiro para modelo dos sonhos, jovem constrói moto de papelão

0
39

Gabriel Arruda, de 19 anos, fez réplica da Ninja ZX-10R, de R$ 70 mil, em casa. Ele diz que gastou R$ 1,5 mil e levou 1 ano e 2 meses para terminar a obra.

Conheça a moto de papelão feita por um jovem de Dourados, MS

Conheça a moto de papelão feita por um jovem de Dourados, MS

Gabriel Arruda, de 19 anos, sonhava com uma Kawasaki Ninja ZX-10R, mas não podia arcar com os R$ 70 mil que ela custa.

Mas, como aconteceu com o agora famoso LamborgUno, criado por um mecânico em Mato Grosso, isso não foi uma barreira para a criatividade. Gabriel que vive no Mato Grosso do Sul, encontrou a solução colocando a mão na massa, ou, neste caso, no papelão.

“Gastei R$ 1,5 mil nessa arte”, afirma o autor.

Moto de papelão ou LamborgUno: qual é o melhor?

Moto de papelão ou LamborgUno: qual é o melhor?

Não é por acaso que ele chama sua “motoca” de arte. Os detalhes de acabamento chamam a atenção pela semelhança com a Ninja ZX-10R, que tem motor de 200 cavalos.

Gabriel se inspirou no modelo antigo da moto, vendido até 2016 – ela custa mais de R$ 70 mil em sua versão 0 km.

“Usei papelão e também papel Paraná, aquele de capa de agenda”, conta o artista.

Parafusos e alguns botões de tomada, para fazer a buzina, também foram aplicados no acabamento, entre outros itens.

Do início do projeto até sua finalização, ele levou 1 ano e 2 meses. “No final, ainda percebi que a carenagem tinha alguns detalhes bem difícieis de fazer”, lembra o morador de Dourados.

É possível dizer que “só falta andar” para ser uma moto de verdade: corrente, amortecedor, manetes e até a tampinha do “tanque” que abre e fecha estão lá.

Publicado no canal dele no YouTube, o vídeo da ZX-10R de papelão já teve mais de 2 milhões de visualizações.

Artesão desde criança

Para replicar a moto, Gabriel estudou manuais do modelo e imagens na internet. Mas este não é o primeiro projeto dele feito de papelão. Ele começou a fazer os próprios brinquedos aos 7 anos de idade e foi desenvolvendo seu próprio método.

“Tem gente que não acredita, mas eu faço essas coisas desde criança. Eu tenho mais de 250 peças feitas”, afirma o artesão.

Entre elas, está uma incrível tuba sinfônica.

Vem aí… um Camaro

E por que Gabriel não pintou ainda a “Ninja” de verde, cor tão característica da marca? Ele está estudando que produto usar, para não correr o risco de estragar a obra.

Enquanto isso, já se prepara para o próximo projeto: “Vou fazer um Camaro”.

Erro › WordPress

Há um erro crítico no seu site.

Aprenda mais sobre depuração no WordPress.