TÉCNICA DE ENFERMAGEM ERA AGIOTA E MORREU POR DIVIDA DE R$ 35.000,00

0
5226
A técnica de enfermagem Danyanne da Cunha Januário da Silva, 35 anos, cujo corpo foi encontrado na madrugada desta quarta-feira no Distrito Federal, foi executada com tiro na cabeça à queima-roupa.
O motivo, de acordo com a polícia, seria uma dívida de R$ 35 mil que um dos envolvidos no crime teria com a vítima.
Dayanne emprestava dinheiro à juros e operava com um homem que trabalha como chapeiro, que também era agiota.
Ele pegava empréstimo com Dayanne a 10% e repassava a 20%. Preso, ele afirmou que mesmo trabalhando como chapeiro, chegava a faturar até R$ 30 mil por mês no esquema.
O problema é que a corrente de empréstimos foi quebrada e ele passou a acumular dívida com Dayanne, por isso a matou para não ter que pagar.
Os criminosos teriam armado uma emboscada contra Danyanne, “Ele mandou uma mensagem para ela dizendo que, quando se encontrassem, ele daria um presente para ela. Um presentão que ela ia gostar muito e que ela ia ficar surpresa”, relatou a delegada Valma Milograna.
Mãe de dois filhos — de 11 e 13 anos —, Danyanne havia sido vista pela última vez ao sair de casa para encontrar um conhecido em frente à loja Madeireira Forte Lar, na Quadra 1 do Riacho Fundo 1.
“Ela emprestou dinheiro para um conhecido. Ele falou para os dois se encontrarem perto de um casa de construção para pagar. Ela chegou lá e, depois disso, sumiu”, contou à reportagem a irmã de Danyanne, a empresária Dallas Brasil, 44.
No dia do desaparecimento, em 27 de julho, segundo a polícia, de fato, a vítima encontrou-se com os suspeitos para receber parte da dívida no Riacho Fundo I.
Um terceiro investigado ainda não identificado teria se aproximado com arma em punho e simulado um assalto. A vítima, então, foi conduzida ao Incra, onde foi executada.
Na segunda-feira (1º/8), a polícia recebeu informações de que o carro da técnica de enfermagem passou pela BR-040 à 0h27 de quinta-feira (28/7). Tratava-se do Hyundai ix35 preto, placa JHW-3899.