Transgêneros e travestis devem usar nome social nas eleições de 2018 – Correio Amapaense

Transgêneros e travestis devem usar nome social nas eleições de 2018

transgêneros e travestis devem usar nome social nas eleições de 2018

Programa também mostra situação de comunidades ribeirinhas, no Rio de Janeiro, que deveriam ter sido removidas há três anos de áreas de risco. Assista às 17h30 deste domingo (25) na TV Justiça ou no canal do MPF no YouTube

foto: João Américo, Secom/PGR

foto: João Américo, Secom/PGR

Transgêneros e travestis devem ser contabilizados nas cotas de gêneros das eleições. Esse é o entendimento da Procuradoria-Geral Eleitoral, que encaminhou parecer ao Tribunal Superior Eleitoral defendendo que essas pessoas possam usar seus nomes sociais nas urnas. Este é um dos destaques do Interesse Público desta semana.

O IP vai até o norte do país para falar sobre as constantes queixas de moradores da região contra a Centrais Elétricas do Pará (Celpa). O estado registra o maior número de reclamações desse tipo. O MPF entrou com ação na Justiça Federal e busca uma solução para o caso.

Em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, saiba como o MPF acompanha a situação de comunidades ribeirinhas que deveriam ter sido removidas das áreas de risco que habitam, próximo ao rio Iguaçu, há três anos. A prefeitura local ainda não fez a realocação das famílias, que se encontram ameaçadas por chuvas e condições precárias.

O programa vai mostrar ainda como andam as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para Cidades Históricas. A cidade de Goiás, considerada patrimônio histórico e cultural mundial, será a primeira a concluir 100% das obras.

Você sabe o que fazer quando a mercadoria vem com defeito? No quadro MPF Explica, o IP vai mostrar a atuação do MPF para garantir a aplicação do Código de Defesa do Consumidor.

Onde assistir – O Interesse Público é veiculado inédito nacionalmente pela TV Justiça aos domingos, às 17h30, com reprises ao longo da semana. O programa também é retransmitido por emissoras parceiras nos estados do Pará, São Paulo, Tocantins, Espírito Santo, Sergipe, Rio de Janeiro, Acre, Paraíba e Rio Grande do Sul. É possível, ainda, acompanhar o informativo eletrônico em tempo real pela internet, no site www.tvjustica.jus.br, ou acessar as reportagens no canal do MPF no YouTube (www.youtube.com/tvmpf).

O IP é uma revista eletrônica semanal produzida pela Secretaria de Comunicação da Procuradoria-Geral da República, em parceria com a produtora Chá com Nozes e com a colaboração das unidades do MPF em todo o país. Contribua com críticas e sugestões por meio do endereço eletrônico: pgr-interessepublico@mpf.mp.br.

 

Secretaria de Comunicação Social
Procuradoria-Geral da República

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION