Pacto global em petróleo pode prejudicar economia russa – Correio Amapaense

Pacto global em petróleo pode prejudicar economia russa

Pacto global em petróleo pode prejudicar economia russa em 2018, diz banco central

A Rússia disse que irá cortar 300 mil barris de petróleo por dia (bpd).


Por Reuters

 

Trabalhadores observam plataforma de perfuração na Rússia (Foto: Sergei Karpukhin / Reuters)Trabalhadores observam plataforma de perfuração na Rússia (Foto: Sergei Karpukhin / Reuters)

Trabalhadores observam plataforma de perfuração na Rússia (Foto: Sergei Karpukhin / Reuters)

Um acordo global que prevê cortes na produção de petróleo, fechado entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e países não membros para impulsionar os preços da commodity, pode impactar a economia da Rússia em 2018, disse o banco central do país em um comunicado nesta sexta-feira (16).

A Opep, junto com outros grandes exportadores como a Rússia, fechou acordo para manter uma restrição conjunta à produção de petróleo por um segundo ano, para reduzir os estoques e elevar preços.

A Rússia disse que irá cortar 300 mil barris de petróleo por dia (bpd) ante seu pico de produção de 11,247 milhões de barris, atingido em outubro de 2016.

O banco central disse que os cortes provavelmente irão impactar a economia como um todo.

A instituição adicionou que o consumo de combustível por carros deve ter um pico em meados da década de 2020, o que deve atingir significativamente os preços do petróleo.

“Consideramos que o acordo da Opep… junto com uma demanda mais fraca por gás natural no exterior, irá temporariamente conter o crescimento na produção (russa), o que pode ter um impacto negativo no crescimento econômico em geral”, afirmou o banco central.

As exportações de gás da russa Gazprom para países de fora da antiga União Soviética caíram 10% na comparação anual em janeiro, devido a um clima relativamente quente na Europa.

O órgão disse que o PIB da Rússia deve subir em 0,4% no primeiro trimestre, quando na comparação com o quarto trimestre de 2017, acelerando para 0,5% no segundo trimestre. O crescimento em 2017 deve ser revisado para cima ante uma estimativa inicial de 1,5%.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION